Facebook


Pesquisar no blog

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

CHAMPAGNE RIVE GAUCHE


Mês passado, um amigo, em viagem turística pela Champagne, me pediu algumas indicações de pequenos produtores daquela região.

Dei algumas dicas de válidos "vignerons" que eu aprecio.

Entre eles indiquei o Champagne "Bérêche Brut Réserve", da vinícola homônima.    

Semana passada, procurando uma chave de fenda, no quarto da bagunça, encontrei, além da ferramenta, uma garrafa de Champagne com a etiqueta envelhecida e manchada.
 

Uma rápida olhada e percebi que se tratava de um "Rive Gauche" da Bérêche & Fils que o meu amigo Paulo Cogorno havia sugerido para que eu comprasse.

"É um Champagne incrível, vinificado com uvas Meunier em pureza. Vou adicionar pelo menos uma garrafa ao seu pedido".

O preço, um pouco mais caro que o Bérêche Brut Reserve, não me animou a autorizar mais de uma garrafa.
 

A má conservação da etiqueta me impressionou e resolvi provar o vinho antes de sua possível "morte".

A morte, daquela garrafa, estava mais longe do que a minha......

Perfeito e impressionante...... Um grande Champagne que bota no bolso muitas garrafas caríssimas e badaladas.
 
 

A intensa cor dourada revelava a casta.

Os aromas complexos me lembraram frutas cítricas (muitos outros, não consegui identificar).

Na boca a grande surpresa.

Seco, sem a incomoda presença das leveduras em excesso, final longo e um convite a beber sempre mais uma taça.

O "Rive Gauche" é um Extra Brut (3g) que não cansa e convida o apreciador a explorar, mais e mais, seus "mistérios" (aromas e sabores).

As 3.000 garrafas de "Rive Gauche" pruduzidas pela Bérêche & Fils não são fáceis de encontrar, mas recomendo, com entusiasmo, que o amante de Champagne perca um pouco de tempo à sua procura.
 

Mais uma coisa: O "Rive Gauche" é vinificado com uvas proveniente de vinhas com mais de 40 anos, permanece 32 meses sobre leveduras e custa 42/48 Euros.

Para beber uma garrafa de "Miolo Brut Millesime" o enófilo brasileiro deverá desembolsar R$ 205,00.
 
 

Se alguém disser: "mas os impostos no Brasil....." vou mandá-lo...

Bacco

22 comentários:

  1. Ba,

    vamo la vai, nao he so no bananal que tem predador. Ja falamos sobre isso antes. O lixo de esgoto champagne base da viuva clicquot custa $ 40.00 ou EUR 40.00... ou mais por ai. E isso que os caras tem toda ajuda do mundo de economia de escala e tudo mais para diminuir o custo do produto.

    A miolo-mole he so mais uma no mundo que cobra muito por coisas ruins. ... cobrar muito por pouco nao foi invencao bananica, ainda que seja muito usado por la.

    Ainda que proporcionalmente eu acredito que a mi-rolo gaste menos com propaganda e marketing.

    Andiamo. Inveja desse champagne ai. Mande uma garrafa para eu comentar. Prometo deixar aberto por 5 horas antes de coloca-lo na taca.

    ResponderExcluir
  2. Grande Roedor, vem pra cá e beberemos juntos, mas, por ter aderido ao método do mais novo mestre das aberturas, já vou avisando que no mínimo o Champagne deverá respirar por 8 horas. 8 horas é o quanto leva o espumante francês para perder todas aquela insuportáveis bolhas. A viúva é uma multinacional que produz todos os lixos mais caros do planeta ,mas para cada viúva existe, na França , 10 Bérêche. No Brasil o problema é, que para cada Miolo, existe um monte de Geisse, Valduga, Salton Aurora etc. etc.

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia Bacco!! Achei muito interessante este comentario sobre deixar respirar um champagne, eu pelo menos desconhecia... Seria bem interessante uma materia detalhando mais sobre este assunto !! Salude Maul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. terá que consultar o especialista Carlos André Mores. João Ratão e eu somos apenas seus discípulos

      Excluir
    2. HAHAHA .... Rindo ate 2025 ....Ele falou isso ?

      Excluir
    3. É inacreditável, mas o oligofrênico afirmou que tem que abrir os vinhos 7/8 horas antes de beber. O Champagne é uma gozação do João e minha, mas o resto , não.

      Excluir
  4. Citando Bacco:

    Os aromas complexos me lembraram frutas cítricas (MUITOS OUTROS, NÃO CONSEGUI IDENTIFICAR)

    Esse é o senhor que vem "proclamar" que eu não entendo nada de vinho. Não é que eu entenda muito, de fato. Mas o sujeito bebe vinho há 60 anos, quer afirmar que "conhece" mas "não consegue identificar".

    Ara, Baquinho, você continua ridiculamente engraçado...

    ResponderExcluir
  5. Interessante. Ainda não conheço tal champagne, mas conheço muitos outros produtores que são tão bom quanto: Olivier Horiot, Leherte Frères, Hervé Rafflin, Bertrand Gautherot e Jacques Selosse (esse último para quem pode gastar uma grana a mais), entre tantos outros. Infelizmente nenhum disponível no Brasil.
    Quanto a decantar champagne eu já ouvi falar, no meu caso não chego a fazer isso, mas bebo em taças grandes, de vinho branco ou até mesmo de tinto, nunca uso as tradicionais.
    Ainda falando em Champagne, conhecem os vinhos tranquilos de Champagne? Já bebi Pinot, Chardonnay e rosés magníficos dessa região e sempre com bons preços.
    Saúde.

    ResponderExcluir
  6. Obviamente deixar a garrafa de Champagne aberta por 8 horas foi gozação. Vc é o segundo que toca no assunto dos vinhos tranquilos. O meu amigo Cogorno , representante de varias maisons ,provou alguns Chardonnay e me garantiu que são ótimos. Vou ver se consigo algumas garrafas.

    ResponderExcluir
  7. Taí, Baquinho, nem atribuir falsidades a mim você consegue fazer direito. Apenas espalha mais ignorância sobre as ignorâncias que você mesmo já comete corriqueiramente.

    E atribuir a mim que QUALQUER vinho deva ser aberto com 5, 6, 8 horas apenas mostra extensão da pouca compreensão que vc tem. Afinal, os Barolos que você experimentou, abertos havia 24 horas, sobra de degustação do dia anterior, estavam bons ou não? Tanto estavam bons que outro vinho, comparado a eles, "não suportou" (gargalhadas!) o embate. O segundo vinho era uma merda ou apenas não recebeu o mesmo tratamento antes de ser degustado?

    Ara, Babaquinho... se emenda...

    ResponderExcluir
  8. Uma cabeça com um estoque inesgotável de estrume

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui é um dos poucos lugares onde, na falta de argumento, as táticas correntes são 1) atacar pessoalmente o debatedor, 2) logar como anônimo para tecer auto-elogios e 3) usar da maior desonestidade intelectual possível, ignorando opiniões ou mesmos fatos em desacordo das ideias petrificadas em vigência.

      Assim Babaquinho vai se perdendo na toada de sua mediocridade.

      Excluir
    2. Ainda, para jogar luz às trevas, depois de vc jogar nas minhas costas a responsabilidade acerca da decantação de champagne, fui fazer a lição de casa. Vejamos alguns comentários lá de fora:

      The notion of decanting Champagne isn’t just a practice among sommeliers; some Champagne producers believe that certain cuvées benefit from decanting as well. Noted Champagne house Billecart-Salmon encourages decanting some of its vintage Champagnes, particularly when younger, to allow these more complex wines to show their true character.
      http://vinepair.com/articles/should-you-decant-champagne/

      Jean-Baptiste Lécaillon, cellarmaster at Champagne Louis Roederer, said: ‘Our Champagne style needs aeration to fully demonstrate its potential, so we often use white wine glasses. Some 25 years ago we even developed our own tulip glasses, which were larger than the flute.’
      Read more at http://www.decanter.com/learn/farewell-to-champagne-flutes-in-2016-286743/#4qRk5AMdScJWxvpK.99

      CHUPA, BABAQUINHO!

      Excluir
  9. Querido chupador mor , onde eu escrevi "decantar" Champagne? Ratão e eu falamos em "respirar" , "aerar" e estávamos apenas seguindo suas 8 horas de sábias recomendações.
    Te amo!

    ResponderExcluir
  10. Babaquinho: você pode deixar respirando a partir da garrafa aberta ou pode passar o vinho para um decantador, a fim de tornar a aeração mais rápida. A diferença é o tempo em uma situação ou em outra. Vai dizer que sequer isso vc sabia?

    Realmente, vc não apresenta um único argumento em momento algum. Apenas distorce e altera o que tenho comentado. É o limite da sua capacidade. Sim, você precisa de sábias recomendações. O lamentável é ouvi-las de mim, porque conheço muito pouco sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  11. Continuo achando que esse tal de Carlos Moles não existe. É uma criação de algum programa de computador altamente virótico e cheio de bugs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não chego a tanto, mas acho suspeito ele reaparecer justo na época do Dia das Bruxas...

      Excluir
  12. Já li sobre esse negócio de decantar Champagne, mas acho coisa de maluco. Deixa isso para o Sr Carlos.

    ResponderExcluir
  13. Meu Mores minha sina Estou aprendendo a decantação do Champagne...... Borbulhas zero

    ResponderExcluir
  14. O que será que o Steven Spurriedo acharia disso? Deem uma olhada em posts recentes do enoblogs.

    ResponderExcluir
  15. Será que espumante imerso em mares franceses precisa decantar?

    ResponderExcluir