Facebook


Pesquisar no blog

quinta-feira, 26 de março de 2015

VINITALY? NEM SOB TORTURA


 


Hoje, em Verona, termina a 49ª VINITALY, a mais importante feira italiana do setor.

A Vinitaly revela números estonteantes.

 
 
Mais de 4.000 vinícolas, provenientes de 24 países, expuseram seus produtos nos 90.000²da feira. 

Os números são impressionantes:  155.000 visitantes, foram abertas, para degustação, nada menos que 576.000 garrafas, sobraram 2,8 toneladas de rolhas, foram usadas 130.000 taças.
 

A Itália, maior produtor mundial, com seus 40,6 milhões de hectolitros, 60% dos quais de denominação de origem (330 DOC – 74 DOCG – 118 IGT), exporta 15 milhões de hectolitros gerando um faturamento, só com a exportação, de 4,66 bilhões de Euros anuais.
 

O setor vinícola reúne 383.645 empresas produtoras, emprega 700.000 funcionários e coloca no mercado mais de um milhão de etiquetas diferentes.

A feira nasce em 1967como: “Giornate del Vino Italiano” e em 1971 assume a atual denominação: “Vinitaly”.

A “Vinitaly”, hoje, é mais uma quermesse do que uma feira.

Os pequenos produtores gastam uma pequena fortuna para decorar o estande, abrir garrafas e mais garrafas para milhares de alcoolizados, acumular pilha de cartões de visitas de interessados compradores, que invariavelmente irão para a lata de lixo, enfrentar filas até para mijar e finalmente esgotados, voltar para casa com esperanças e só esperanças.
 

Os industriais gozam e se lambuzam, como de costume, com a presença de jornalistas bajuladores e “faturadores” (há muitos), de grandes compradores que já programaram suas compras e aí estão apenas buscando    atenções e favores (as garotas dos estandes faturam alto…), de representantes comerciais sempre sorridentes tentado agradar os poderosos patrões e compradores…. Uma verdadeira “Feira de Vaidades”.
 

Verona e arredores, durante a Vinitaly, quase dobram sua população e se transformam em um verdadeiro inferno.

Os restaurantes e bares lotam, os hotéis superlotam, os preços sobem e a tranquilidade some....
 

Aprendi que grandes feiras são “frias” e apeno frequento as menores e regionais.

Mantive, como de costume, 300 quilômetros de segura distância e deixei Verona para mais tarde, bem mais tarde

 Antes preciso rever Sirmione, Bardolino, Lazise, Malcesine, Torri del Benaco e beber um bom Soave.....em Soave.
 

Bacco

 

2 comentários:

  1. Pela sua descrição, e obviamente guardando as devidas proporções, qualquer semelhança com a Expovinis é mera coincidência. Também me mantenho afastado de eventos desta natureza.
    Salu2

    ResponderExcluir
  2. Vinitaly é no ultimo dia é pior que churrascao na laje do maracana. So da bebado chato se esfregando nos outros e eventualmente indo ao chao.

    Uma versao aumentada e piorada da expovini brazuca (vaiiiiiiii brasilllllllllllll).

    ResponderExcluir