Facebook


Pesquisar no blog

terça-feira, 19 de novembro de 2013

ROMANINHO-CONTI


 

No mês que passou foi desmantelada uma quadrilha franco-italiana que falsificava as mais prestigiosas garrafas da Romanée-Conti.

Quinze pessoas foram indiciadas (duas estão presas) pela operação denominada “Bollicine” que iniciou em dezembro de 2012 e terminou em 16 de outubro do corrente.

Para que se tenha uma ideia do tamanho da falcatrua e da quantidade de novos ricos idiotas que perambulam, como zumbis,no mundo das etiquetas caras, mas que não entendem nada de vinho, informo que, somente no Reino Unido, 7.000 garrafas de “Romaninho-Conti” repousam nas adegas dos bobões ingleses.

O Romanée-Conti começou sua corrida para a fama em 1780 quando o arcebispo de Paris, um grande entendedor de vinhos, o classificou: “Aveludado e Acetinado”.

Hoje o vinho da Côte D’Or, não é mais uma simples garrafa, mas um símbolo de status para os que, rapidamente, conseguiram grandes fortunas (novos ricos e velhos idiotas).

Os trambiqueiros sabem perfeitamente que as preciosas garrafas, que chegam a custar até 55.000 reais, permanecem guardadas durante longos anos nas adegas, como se fossem lingotes de ouro, mais para causar admiração do que para serem consumidas.

É preciso salientar, também, que poucos tem paladar treinado para reconhecer, com segurança, se o Pinot Noir que há nas garrafas é realmente produzido pela Romanée-Conti ou por outro viticultor da região que vende seu vinho por preços infinitamente mais barato.

Um dos poucos, no Brasil, que possui esse conhecimento é o Maluf.

Maluf, guarda em sua adega, também conhecida por “Espraiadas-Conti”, uma das maiores coleções de Romanée-Conti do planeta.

Eu acho que quem gasta R$ 45.000, por uma garrafa de vinho, merece ser “erabachinado”,

O “Romaninho-Malufado” foi distribuído nos Estados Unidos, França, Itália, Inglaterra, Suíça, Rússia, Alemanha, Japão e Holanda garantindo, assim, o Paraguai como porto seguro (rarararararara).

Quem acompanha B&B, desde seu início, sabe que nunca tivemos papas na língua para acusar quem faz da picaretagem sua norma comercial.

Certa vez informamos que a DESSILANI, vinícola de grande prestígio, que produzia, entre outros, o ótimo “FARA CARAMINO” fora fechada pela polícia italiana.

Os picaretas do norte do Piemonte haviam espalhados pelos países nórdicos 7 milhões de garrafas de Amarone falsificado.

Os vivaldinos engarrafavam um medíocre vinhos francês e o vendiam como sendo originário da prestigiosa DOCG do Veneto.

Pois bem, Enzio e Nicola Lucca (pai e filho) que falsificaram o Amarone, na Dessilani, subiram o nível e picaretaram o Romanée-Conti.

Estão em cana!

Dionísio

Um comentário:

  1. Bacco e Dionísio,
    Ontem ia postar um comentário, mas acabou sumindo. Vamos aqui novamente.
    Eu fiquei lendo seus posts por mais de uma hora e ri muito com tudo. Acho que só alguém com muita perspicácia e inteligência para poder contar os fatos, criticar e investigar a fundo.
    Adorei a adega do Maluf, a Espraiada-Conti e realmente acho que vocês tem que continuar no anonimato. O mundo do vinho é um lugar cheio de gente dona da verdade e eu fui muito questionada quando comecei a participar dos eventos. Sinceramente era mais fácil lidar com Direito Internacional, do que com os egos do vinho.
    Eu sempre tive meu blog independente, sem anúncios, mas depois de 2 posts, um que falava mal de um vinho brasileiro e outro que comentava sobre um sommelier, fui "aconselhada" a rever o que escrevia.
    Mas formador de opinao tem que ter opiniao, nao é?
    Agora estou fora do Brasil e sinto muito mais liberdade em comentar o que eu quiser, sobre o que eu quiser.
    Infelizmente blog nao rende nada no Brasil, entao os profissionais fazem de tudo para ganhar algo grátis.
    Sucesso e saúde sempre!
    Abraço,

    Alessandra Esteves
    www.damadovinho.com.br

    ResponderExcluir