Facebook


Pesquisar no blog

terça-feira, 26 de novembro de 2013

MAIS UM FENÔMENO I



 

 


 


vc aceitaria fazer este curso para mim e uns (poucos) amigos? Pagaríamos as duas garrafas de Taittinger com o maior prazer!! Abraços e parabéns pelo blog, a cada dia melhor!!

Recebi o comentário acima, inserido na matéria “OS PROFISSIONAIS”, há alguns dias, mas esqueci em casa meu computador e, durante minha enésima viagem pela Borgonha, não pude responder.

No post, “OS PROFISSIONAIS”, comentava que ao perceber a total ignorância dos vendedores de uma grande revendedora, que nem sabiam pronunciar corretamente o nome dos vinhos da Borgonha, havia proposto uma "aula" sobre a região francesa.

Nada profundo, complexo, apenas algumas pinceladas para livrar os vendedores do ridículo.

Em troca e pelo tempo que perderia (e como....), havia exigido, a título de pagamento, duas garrafas de Champagne.
 

Foi melhor não responder imediatamente ao post, pois um amigo enviou uma mensagem que servirá como resposta e alertará os caros leitores sobre mais uma picaretagem que se aproxima celeremente dos incautos enófilos brasileiros.

Nelson Rodrigues, nos anos 60, dizia que “Brasileiro Tem Complexo de Vira-Latas”.

Mais de meio século se passou e os enófilos brasileiros continuam mais vira-latas que nunca.

Basta aparecer um espertinho, um cara de pau, um falso expert de vinho com nome estrangeiro (melhor se francês ou italiano), que os critico$, blogueiro$, jornalista$, AB$, A$BAV etc. azeitam a coluna para poder dobrá-la com maior facilidade e desenvoltura.

Um dos últimos espertinhos, que descobriu o Brasil dos eno-tontos, foi o piemontês Enrabachino que, pasmem, já fez escola e despertou a carteira adormecida e sedenta do um acrobático franco (mas não muito) brasileiro: Cara (de pau?).

O Cara é um cara com muitas caras.

Era proprietário de um restaurante na desconhecida e longínqua Ourinhos quando seu meio sangue francês falou mais alto.

 Abandonou as panelas interioranas e as padarias onde ministrava cursos ao descobriu, como anteriormente acontecera com o famoso ex fotógrafo Dani-Elle, que havia dentro “dele”, adormecido, um produtor de vinho (mais um...).

O “chef”, já distante do fogão, abraça as taças e se transforma num sommelier.

Passo seguinte: Encontrou na vinícola Larentis o parceiro ideal (mais uma semelhança com o ex-fotografo que encontrou vinhas e cachos na Lidio Carraro) e partiu para a produção de vinhos.

Mas o horizonte do cara não podia se limitar apenas nas colinas e vinhas gaúchas; era preciso ir além, muito além.

O cara resolveu, então, conquistar a Borgonha e se mandou com todas suas caretas para Beaune onde atualmente mora (será?).

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam muito mais....

Cansado, do seu elefante vermelho, o chef, sommelier, guia turístico, “COPONE” (consultor de p... nenhuma), voltou para o Brasil com algumas centenas de garrafas de vinho branco da “Haute Côte de Nuits”.

O nosso chef, sommelier, Copone, guia turístico, produtor e importador de vinhos, “professor” palestrante, etc. etc. etc. etc. etc. etc. lacrou pessoalmente as preciosíssimas garrafas e as está vendendo por módicos R$ 300.

 Nas horas vagas o cara ainda tem fôlego para ministrar, Brasil afora, curso de três horas e meia sobre a Borgonha cobrando modestíssimos R$ 350.

 

UFA!!!!!!!

Antes de terminar a primeira parte, em que analisei a fenomenal versatilidade do cara mais eno-turbinado do Brasil(França?), devo confessar que preciso tirar o chapéu para a incrível cara de pau do nosso mais novo fenômeno que conquistou, pasmem, a Borgonha.


 Leiam o fantástico currículo.


 


Consultor


 

RELATIONS BRASIL BOURGOGNE

janeiro de 2010 – Presente (3 anos 11 meses) BEAUNE

 

Consultor Enogastrônomico Éléphant rouge

Empresa privada; 1-10 funcionários; Setor de Vinhos e destilados

janeiro de 2009 – Presente (4 anos 11 meses) Bourgogne, França

 

Consultor Château de Villars Fontaine

janeiro de 2009 – Presente (4 anos 11 meses) Villars Fontaine Bourgogne

Vinho de longa guarda da Bourgogne

 

Consultor Enogastronômico Jean Claude Cara

2007 – Presente (6 anos) Beaune

 

Consultor Château de Villars Fontaine

janeiro de 2007 – Presente (6 anos 11 meses)

Amanhã, tem mais.

Bacco

PS. Respondendo ao post que originou a matéria: Meu preço , após tomar conhecimento de quanto cobra o mais novo fenômeno da eno-cara-de-pau-tupiniquim, subiu para duas garrafas de Champagne por pessoa.
Obrigado

2 comentários:

  1. O problema é que tem trouxa para sustentar estas coisas. Aliás, veja o comentário que vi em uma loja virtual de vinhos [ou seria loja de vinhos virtuais?] sobre um Klein de Constantia Vin de Constance:
    "Um verdadeiro néctar. Ouro profundo com nariz rico e abundante: açúcar, cevada doce, tangerina, casca de laranja, almiscarado, delícias turcas, notas florais, lichia, caramelo e uma noz ressacada. Em boca é vibrante, cremoso, maduro, doce, meloso, pêssego. Acidez equilibrada, muito longo, intenso. Atingiu a perfeição com bleu d'Auverge, gorgonzola dolce e doce de leite".
    Incrível como o cidadão detecta tudo no vinho. Impressionante. Deve ter feito um curso de sommerdier, não há duvida. :)
    Salu2
    Jean

    ResponderExcluir
  2. Veja esta pérola então, cidadão:

    "A degustação será abordada sob o ponto de vista técnico e hedônico, e correrá às cegas com decantação prévia em taça ISO".

    ResponderExcluir