Facebook


Pesquisar no blog

domingo, 12 de junho de 2016

TRANSILVÂNICO, VAMPIRESCO




  "Concurso Melhor Sommelier I e II", lembram?

As matérias provocaram duas reações: Os simples mortais, os enófilos comuns, os que gostam de beber vinho em paz, concordaram com os textos.

 A panela, aqueles que gravitam ao redor dos produtores e importadores, sommeliers, AB$, crítico$, blogueiro$ chapa branca, (de)formadores de opinião etc., detestaram e desceram o cacete.

No Facebook, o melhor sommelier do Brasil, de 2016, elegantemente, diga-se, não concordou com nenhuma palavra que escrevi.

Diego defende o dele e faz bem, mas o Arrebola não convence ninguém quando afirma que os sommeliers brasileiros são realmente competentes, capazes.

 
 Ninguém, que conheça um pouco de taças e tenha mais de três neurônios, acredita que os sommeliers, do Brasil, sejam grandes e sérios profissionais.

Provas, do contrário, há inúmeras e nos já publicamos várias delas.

Mais uma prova, de incrível subserviência, falta de profissionalismo e total despreparo para a função, me foi enviada por um amigo e agora, repasso.

O texto, em que uma renomada e afirmada sommelier, descreve os quase vinhos do Atelier Tormentas (bota tormentas nisso...), de uma forma tão irreal, fantasiosa, falsa e transpirando servilismo, me deixou prostrado.

 Por enquanto passo a palavra à nossa sommerdier que nos encantará com suas descrições e depois eu volto.

Leiam

 

Que domingo mais genial foi esse. Pura emoção do começo ao fim. Começamos no restaurante Serramanna do Chef Aldo, na cidade de Canela/RS, e terminamos dentro do Atelier Tormentas, provando alguns vinhos diretamente das pipas. Nossos anfitriões, Ana Galliano e Marco Danielle, nosso muito obrigada.

 

Sauvignon Blanc 2013 - Atelier Tormentas
Monte Alegre dos Campos - Campos de Cima da Serra - RS - Brasil
Um dos vinhos mais polêmicos que degustei nos últimos tempos. Essa é a quarta vez que o degusto, e ele continua me emocionando.

Turvo (amarelo tipo cor de yakult), denso, oleoso, azedinho, mineral. Fica na boca um tempão. Realmente foge dos padrões comerciais dos Sauvignons Blancs comerciais, talvez seja essa razão de ser tão polêmico, é tipo 8 ou 80.

 

Piratini Pinot Noir 2013 - Atelier Tormentas
Piratini - RS - Brasil
Cor granada. Frutas maduras, bagaço de cana de açuçar, me lembrou um cheiro de incenso, na boca bem mineral, acidez deliciosa e profunda. Esse aqui é mó gostoso de beber e fácil de entender
.

 


Serena Pinot Noir 2013 - Atelier Tormentas
Nova Pádua - Serra Gaúcha - RS - Brasil
Cor granada. No nariz me lembrou sangue, ferrugem, bem vampiresco, transilvânico, fumaça de café coado. Totalmente caleidoscópico. Foi mudando aos poucos. Deu uma pinicadinha no nariz, cera de depilar, meio biotônico. Foi virando um steak tartare, carrrrrrne, muita carne. Esse vinho é puro deleite, pura TPM, muda de hora em hora. Ficaria dias tentando desvendá-lo.

 


Monte Alegre dos Campos Pinot Noir 2013 - Atelier Tormentas
Campos de Cima da Serra - RS - Brasil
Cor rubi meio turva. No nariz me lembrou um cheiro de arbusto molhado, talco. Cheio, denso, gordo, calorias à flor da pele. Cremoso, cremucho. Achei o mais frutado de todos e devo dizer que também é o mais didático.

 


Fulvia Pinot Noir 2012 Garagem - Atelier Tormentas
Encruzilhada do Sul - RS - Brasil
Cor granada. No nariz me lembrou um pouco o cheiro do cognac, pinica o nariz, eucalipto, cedro, carne gordurosa mal passada, um pouco defumado, tânico. Taninos esses, que afagam as bochechas e deixam saudades.

 


Fulvia Pinot Noir 2013 - Atelier Tormentas
Encruzilhada do Sul - RS - Brasil
Cor Granada. No nariz lembra manteiga noisette, para mim, o mais perfumado e aromático de todos. Lanolina, hortênsia. É o mais sério, o mais compenetrado de todas as amostras. E o mais vaidoso também. Provavelmente, deve escutar música clássica.

 


No final, da pantomima etílica, "Maquinhos dos mil nomes e nenhuma vergonha na cara", comovido (será que não ficou vermelho?), responde:
 

Marco Danielle Bacana, Jô, tua leitura foge dos clichês clássicos e divaga por um universo mais lúdico e descontraído, sem contudo deixar de lado a dose de eloquência que sinaliza o conhecimento da trilha.

Acabo de terminar as fases mais árduas da vinificação 2015 e em breve lhes enviarei minhas fotos do encontro. Foi um prazer compartilhar esses momentos.  

Os caras de pau trocam afagos e fotos...... 

Pelo jeito a caneta de vida fácil se vendeu por uma passagem, um almoço e 1/2 dúzia de garrafas (arghhhh) do Dani.

Não é necessário se gastar muito para comprar as idiotices escritas pela "genial" sommerdier Jô Barros: A caneta da Jô Barros é mais uma de vida fácil.

 A revista "Prazeres da Mesa" , pasmem, teve a ousadia de eleger Jô Barros "Melhor Sommelier do Brasil 2011".

 A melhor sommerdier de 2011 deve ter esquecido, pelo caminho e ao longo dos anos, a vergonha, o pudor e o profissionalismo.

Somente uma desonesta intelectual encontra, em uma taça de vinho, entre outra imbecilidades, "lanolina, carne gordurosa mal passada, calorias à flor da pele, transilvânico, vampiresco, cremoso cremucho, cera de depilar, TPM....... 

Mais uma prova de que os sommeliers consideram os consumidores uns idiotas de carteirinha e que podem ser manipulados a bel prazer

Mais uma prova que "Dani dos mil nomes e nenhuma vergonha" adora comprar canetas falsificadas e baratas.  

 

Dionísio.


12 comentários:

  1. Prezados,

    Primeira vez que leio bacco e bocca e me deu ansia. Imagina o pior sommelier do Brasil....

    ResponderExcluir
  2. Luiz, continue lendo....vai perder o sono com tanta s imbecilidades

    ResponderExcluir
  3. TPM pura e sanguinária! E tem gente q compra essa balela.

    ResponderExcluir
  4. ou é deleite, ou é TPM, minha filha. não consigo imaginar ninguém, mulher ou homem, que se deleite com TPM.

    essa dona trabalhava num site de venda de vinhos recentemente falido. não chegava a tanto nas descrições que fazia pro site, o que me leva a crer que essas eram obra de um ghost writer, provavelmente sem TPM nem lanolina. socorro...

    ResponderExcluir
  5. Mercado fraco no nivel técnico e moral/ético. Sei do que estou falando. Pagar rolha para bandido doi!

    Só acredito nos posts de B&B porque conheço o mercado. Parece ficção, mas não é.

    ResponderExcluir
  6. Só pode ser deboche ou ironia. Não dá para acreditar. Alguém já provou algo "vampiresco"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poie é, este é o nível de nossos sommerdiers. Uma vergonha

      Excluir
  7. Tá ruim!? Pode piorar. Notícias do nosso maravilhoso congresso: Ibravim solicitando aumento dos impostos para importação de vinhos. Líder do governo defendendo a proteção ao vinho nacional.

    ResponderExcluir
  8. por essas e outras que o consumo do vinho , no Brasil, não chega a 2 litros/ano. Em compensação vinícolas como a Miolo passaram do zero para 25 milhões de garrafas em menos de duas décadas .Vai defender o vinho assim na......

    ResponderExcluir
  9. Meu caro, realmente o caso acima me assusta. Entendo que há profissionais com visões diferentes do convencional. Mas por todos no mesmo bolo é um pouco de radicalismo. Pois como existem mais Sommelier existem maus médicos, maus jornalistas, maus críticos e maus blogueiros. Quem sabe se você for na loja ou no restaurante certo você não se surpreenda.
    Repito,botar todos no mesmo barco e no mínimo falta de inteligência.
    Um brinde ao pensamento amplo!!
    Nelton Fagundes!

    ResponderExcluir
  10. Nelton, me indique o restaurante certo, loja certa em que eu possa me surpreender que irei amanhã . Não estou , na matéria, falando de um sommelier qualquer, estou questionando a capacidade de uma profissional que foi considerada a melhor do Brasil. Se a anta, que descobre cera de depilar em um vinho, foi a top de 2011 , devo pensar e acreditar que todos os outros são inferiores. Botar todos no mesmo barco e afundá-lo é , no mínimo, prova de grande inteligência.

    ResponderExcluir