Facebook


Pesquisar no blog

quarta-feira, 15 de março de 2017

MARSALA VECCHIO SAMPERI


 


No início de fevereiro escrevi matéria comentando um jantar na "Vineria Macchiavello" de Santa Margherita Ligure.

No final de meus comentários prometi um post sobre o melhor vinho da noite: "Vecchio Samperi Ventennale"
 

Vamos viajar um pouco...

Portugal, pátria de grandes vinhos, é insuperável na produção e na qualidade dos "Vinhos Fortificados"

 Quando o Porto e o Madeira entram em discussão....... não há discussão.

Não que no mundo existam apenas Vinhos Fortificados portugueses, mas.......
 
 

 Jerez e o Marsala são dois exemplos de outros grandes vinhos fortificados, mas perdem um pouco de brilho se comparados aos Porto e Madeira.

Quando estou na Itália e desejo beber um fortificado se me oferecem um Marsala torço o nariz e peço um Porto.
 

Não sou, confesso, um grande conhecedor desta tipologia de vinho, mas já bebi alguns memoráveis e quase sempre na companhia de meu grande amigo Pedro Marques, proprietário da incomparável "Garrafeira Alfaia" no Bairro Alto.

Pedro é o meu "guru" quando o assunto é Porto ou Madeira.

Outra razão para declinar o Marsala: O Marsala, em minha memória, sempre esteve intimamente ligado às receitas (Scaloppe al Marsala, Zabaione, Zucchine al Marsala.....) e, cruz credo, ao deplorável "Marsala all'Uovo"
 
 

A decisão de produzir de "Marsala all' Uovo" (Marsala, gema de ovo, açúcar, ervas aromáticas etc.) foi, talvez, a pior escolha comercial de toda a vinicultura italiana.

 Para aumentar a venda e popularizar o vinho, os produtores resolveram adicionar ovos a um dos vinhos mais refinados e complexos da Itália.

Deu no que deu: Vulgarizaram e estigmatizaram, durante décadas, o Marsala

Se eu, que tenho respeitável milhagem pelo mundo das taças, desconfio do Marsala, imagine a cara de um enófilo de primeira viagem ao encontrar, em uma prateleira de supermercado, Marsala ovo-aromatizado por 4/6 Euros..... Vai achar que é um produto das vinícolas gaúchas.
 
 

Voltemos ao nosso "Vecchio Samperi Ventennale" (Velho Samperi Vinte Anos).

No final do jantar ,quando acreditava que nada mais haveria para me surpreender, Enrico, proprietário da "Vineria Macchiavello", abriu uma garrafa de Marsala "Vecchio Samperi Ventennale".

Já no primeiro gole percebi que aquele vinho não era banal, aliás, era grande vinho.

Se a etiqueta da garrafa de Marsala não estivesse visível apostaria em um ótimo Madeira.

A semelhança é impressionante: O "Vecchio Samperi Ventennale", envelhecido pelo sistema "Solera", nada deve aos grandes Madeira.

O "Vecchio Samperi Ventennale", gema mais preciosa da vinícola Marco de Bartoli, é produzido, exclusivamente, com uvas "Grillo" colhidas no final de setembro.

A fermentação é realizada em tonéis de madeira à temperatura ambiente e o envelhecimento (média 20 anos) se dá em barriques utilizando o método "Soleras".
 

 
Linda cor âmbar, nariz muito complexo (evito declarar os incríveis aromas que se sucedem sem parar, por pura incompetência e limitação olfativa), na boca é potente, mas macio, aveludado e com um final interminável.

O meu entusiasmo é apenas freado pelo preço: O "Vecchio Samperi Ventennale" não se deixa beber, na Itália, por menos de 45/50 Euros.

Quando o Vecchio Samperi Ventennale aparecer, na carta de um restaurante, deve ser degustado acompanhando os ótimos queijos italianos.

 
Recomendo com entusiasmo.

Bacco.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir