Facebook


Pesquisar no blog

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

PORTO-TÔNICA



O calor quase estivo e uma longa caminhada, para digerir o fabuloso bacalhau ao forno do restaurante "Pinóquio" (não consigo entender a mania dos brasileiros que continuam a prestigiar o banal, turístico, e caríssimo "Solar dos Otários e Seus Presuntos" sem pesquisar os bons endereços de Lisboa), me provocou uma sede intensa.


"Algo refrescante, por favor".


Suado e cansado apelei para o bom senso do 
barman.


"O senhor já experimentou Porto-Tônica?"


Olhei para a cara do rapaz tentando captar algum sinal de gozação.

O jovem barman continuou, serio , repetiu a pergunta esperando a resposta.

"Não. Já provei Gin-Tônica, mas nunca me passou pela cabeça beber Porto-Tônica..... Vamos ver".


O rapaz em poucos segundos preparou a bebida.


Uma dose generosa de Porto Branco Seco, uma folha de hortelã, amassada na palma da mão, uma casquinha de limão siciliano, a mesma quantidade de Tônica, uma bela mexida e...... "Prepare mais um, por favor"

Sensacional!!!

Dois drinques insólitos que me surpreenderam: Cognac XO Hennessy com gelo e o Porto-Tônica.



Prove e depois comente.

7 comentários:

  1. Ue, basta botar o pe na terra de Cabral que ja te enfiam na cara um porto-tonica.

    Outra dica boa que um amigo cafetino me passou = cafe tonica.

    Gruessen von den bergen!

    ResponderExcluir
  2. Há alguns anos costumo fazer esse drink em casa. Aprendi com a dona de uma loja de vinhos em minha cidade. Desde então, o "desprezado" Porto Branco nunca saiu de minha adega. Eu gosto muito.
    Salu2

    ResponderExcluir
  3. Muito bom Bacco,

    O JR já havia mencionado sobre o Porto Tônica em uma postagem anterior.

    Saude.

    ResponderExcluir
  4. Hoje não vamos estar de acordo. O Solar é um excelente restaurante comandado pelo seu simpático dono o Sr.º Evaristo. Da próxima vez que lá for ( se for ), experimente de entrada umas vieiras gratinadas acompanhado do vinho verde da casa, vai ver que a combinação é perfeita e de refeição um peixe ao sal. No fim o melhor pudim do mundo ( pelo menos para mim ), um abade de priscos com uma bola de gelado. A meu ver não pode comparar o Pinóquio ao Solar, porque o público alvo é bem diferente. Gosto muito da sua escrita mas hoje não pude concordar consigo. Quem sabe um dia não combinemos algo no Solar para ver se muda de opinião, kkkkkkkk.
    Nuno Barroca

    ResponderExcluir
  5. Não estamos de acordo. O Solar é um restaurante caro ,caríssimo. Pude perceber que o amigo é português , provavelmente, amigo do sr. Evaristo e conhece todos os pratos do Solar. Certa vez , bebericando na Champanheria , ao lado, vi entrar, de uma única vez, mais de 60 espanhóis e um sem número de brasileiros. É impossível obter grande qualidade com tamanho fluxo. O Solar , para mim , é um restaurante turístico , caro que não justifica, atualmente , tanta fama. O Solar não chega ser patético como o João do Grão e seu cadavérico bacalhau, mas é dispensável. As lampreias do Pinóquio, e o bacalhau do Alfaia,
    me seduzem mais. Abraço

    ResponderExcluir
  6. Bacco, não sou amigo do dono mas sim um simples cliente que gosta de lá ir. Realmente num ponto tem razão a imensidão de turistas que lá vão é enorme, não será também pela qualidade da casa? Sou realmente Português a residir a 3 anos no Brasil, mas vou-lhe fazer uma pergunta, o mesmo jantar que comeria no Solar quanto pagaria em São Paulo ou no Rio? Pense nisso. Já agora, parabéns pela sua escrita, muito caustica e certeira em relação ao mundo do deus baco e gosto mais da "descaca" que tem dado a alguns produtores Brasileiros.
    Nuno Barroca

    P.S: Não deixe de ir a Adega das Gravatas em Carnide....

    ResponderExcluir
  7. Caro Nuno , os turista não frequentam restaurantes porque são bons, os frequentam porque são famosos e indicados pelo site picareta "Trikadvisor" Hoje , com o Euro nas estrelas, os preços brasileiros não são tão indecentes.... Obrigado pela dica da Adega

    ResponderExcluir