Facebook


Pesquisar no blog

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

CASTELLO DI GUARENE



Você faz ideia de quantos castelos há na Itália?

Não?

Eu, sim.....
 
 

O número, bem menor que o das igrejas (mais de 64.000), não deixa de ser impressionante: 3.179.

Só no Piemonte há 168.

Parte dos castelos pertence ao estado, outra às províncias e município, alguns aos ricaços italianos e o restante está nas mãos, ainda, de antigas e nobres famílias.

Outra pergunta: Você sabe quanto custa manter um castelo?
 

Uma dica: Certa vez fui visitar, no Friuli, uma vinícola de um conde.
Durante a visita, o nobre me confidenciou que havia gasto 400 mil Euros somente na reforma do telhado do castelo que abrigava as adegas e a parte administrativa da vinícola.
 

Nos castelos há dezenas (as vezes centenas) de salas, salões, quartos, subsolos, masmorras, alojamentos para serviçais etc....

 Castelos são imensos, dispendiosos e.....inúteis.

Para que se tenha uma ideia, há muitas comunas que simplesmente não os aceitam, quando oferecidos pelos proprietários, nem de graça.


O “Castelo di Guarene”, cidade próxima de Alba, esplendido exemplo da arquitetura do século XVIII, foi idealizado e construído pelo Conde do Roero.

Belíssima fachada, de três andares, toda em tijolos, imponente estrutura, magníficos jardins, atravessou séculos esbanjando riqueza e pompa.

Nas últimas décadas o castelo pertenceu à família Provana e sua atual proprietária, a nobre Anna Provana di Collegno, não suportando mais as despesas resolveu vender o castelo para empresários locais.

O castelo, tombado pela Unesco, passou por uma minuciosa restauração que durou quase três anos e que custou, aos novos proprietários, mais do que a importância paga na compra do imóvel.

O palácio reapareceu, no final dos trabalhos, com todo seu esplendor.  
 

Do alto, da colina de Guarene, o castelo domina orgulhosamente todo o vale e é impossível não admirá-lo ao chegar em Alba.

O fim, de todos os castelos italianos, parece ser o de sempre: Ser transformado em hotel e restaurante.

O “Castello di Guarene” não foge à regra e abriu recentemente suas portas oferecendo 15 luxuosas suítes, um completo spa e um belo restaurante.
 

O restaurante, o spa, as recepções do hotel ocupam, hoje, as antigas estrebarias do castelo.

Poucas mesas (10) bem dispostas, no imponente salão, ambiente aconchegante, pratos e talheres de primeira, cozinha refinada, mas sem excessos modernosos, colocam o restaurante do Castello di Guarene na rota dos gourmets que visitam a região.
 

Uma belíssima sequência de antepastos da casa
 

 Vieiras com purê de salsão ao molho de vinho tinto e trufas negras

 
 Cordeiro recheado com queijo Taleggio e salsa de castanha
 

 Codorna em molho de cereja, chocolate branco e foie-gras
 

 Lulas no leite com alcachofras purê e azeitona
 

 Duas taças de Champanhe Bollinger, uma garrafa de Barbaresco Produttori del Barbaresco “Rabajà” 2009, nos aliviaram em exatos 165 Euros.
 

A cozinha, chefiada por Davide Odore, nascido em Guarene, como já salientei, não entusiasma, mas é correta nos sabores e na apresentação.

O ambiente, o serviço comandado pelo eficiente maitre português, Pedro, são mais alguns motivos para se conhecer o restaurante do “Castello di Guarene”.

Bacco

 

 

4 comentários:

  1. Amigo Bacco,

    165 euros por pessoa? ou foi a conta total?

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eno Pobre,ma non troppo..... 165 foi o total da conta

      Excluir
  2. Vejam a pindaíba :

    http://economia.estadao.com.br/blogs/radar-economico/castelos-medievais-da-epoca-do-renascimento-estao-em-oferta-na-italia/

    ResponderExcluir
  3. Excelente Bacco! Quem sabe um dia...
    Abraços

    Eduardo

    ResponderExcluir