Facebook


Pesquisar no blog

quinta-feira, 19 de junho de 2014

MANIAS


Tenho algumas manias, confesso.

Uma delas: Quando percorro as cidades do entorno de Brasília e encontro supermercados locais, não consigo evitar: Entro em todos para conhecer as prateleiras dos vinhos.

Em 90% das paradas é sempre a mesma desilusão: Algumas garrafas de Cantina da Serra, Country Wine, garrafões de Sangue de Boi e outras porcarias produzidas no sul.

Quando tenho “sorte” encontro Concha y Toro, Santa Carolina, Angaro e outras etiquetas populares.

Italianos? Quase nunca.

Portugueses? Alandra, Redondo, Casal Garcia e outros menos conhecidos.

Se os vinhos portugueses, acima mencionado, apresentam preços que oscilam entre 10 e 20 R$, sempre compro algumas garrafas para bebericar no dia-dia ou para cozinhar.

Ontem passei por uma avenida de Valparaiso, cidade limítrofe do DF, onde encontrei um supermercado popular (bota popular nisso...) que nunca havia visto.
 

A velha mania falou mais alto e mais uma vez entrei para verificar aas prateleiras de vinhos.

A mesma porcaria de sempre...

“Desiludido” já estava me dirigindo à saída, quando percebi uma prateleira cheia de “Cereser”.
 

Atrás das infames garrafas de quase Sidra, um rótulo alaranjado chamou minha atenção.

Troquei os óculos, me aproximei e quase tive um enfarte: Uma etiqueta de R$ 79,90 anunciava o preço do Champagne “CARTE D’OR” da Drappier.
 

Incrédulo, me aproximei, mais ainda, para verificar se o preço indicado correspondia ao produto.

Sim, caríssimos, O “CARTE DOR” custava R$ 79,90.

Preocupado, com a possível má conservação, comprei duas garrafas.

Na hora do jogo Croácia X Camarões abri uma garrafa para provar.

Grande Champagne.

Extraordinário, perfeito, soberbo!

São 11,40 e acabado de voltar de Valparaiso com o restante das garrafas de Drappier que encontrei.

Nunca R$ 79,90 foram tão bem gastos.

O “CARTE D’OR” apresenta uma pronunciada cor dourada que revela uma garrafa não tão jovem.

No nariz é elegante, aroma delicado de frutas cítricas, notas de mel e crosta de pão.

Na boca é picante, fresco, elegante e apresenta um final redondo e longo.

Grande vinho!

Dionísio.


15 comentários:

  1. Boaaaa !!! Sorte !!!!

    ResponderExcluir
  2. Deves ter comprado carga roubada ou, na melhor das hipóteses, garrafas que falam castelhano da fronteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de queima eh comum por todo canto, as vezes por conta da besta que cadastra o produto ou mesmo para fazer um caixa rapido. O que nao faz sentido eh ter um champagne a venda nesse fim de mundo.

      Excluir
    2. fim de mundo???

      Excluir
    3. Erro de cadastro de produto ou às vezes simplesmente zerada de um produto que não será mais encomendado. Um supermercado no Rio de Janeiro que normalmente não é um bom lugar para se comprar bebidas, pois os preços são acima da média, é onde encontrei as melhores galinhas mortas. Uma vez vi a tequila Souza a R$ 10,00 a garrafa. Preço de pinga! Esvaziei a prateleira.

      Excluir
  3. Não sei, mas paguei , peguei o ticket e confesso que o Champagne é realmente muito bom

    ResponderExcluir
  4. Sensacional. Também tenho essa mania. Já tive surpresas boas e fico sempre com a esperança de repeti-las. Mas são raras, raríssimas. rsrs

    ResponderExcluir
  5. Na Azarhil o preço é de R$ 265,00! Ótima compra mesmo.

    ResponderExcluir
  6. aqui tem mais um com a mesma mania, mas que se limitou a conseguir Barbera da Fontanafredda e Pinot Noir básico da Borgonha por R$ 30 cada...

    ResponderExcluir
  7. A compra dele é excelente,preço errado,mas nessa aí será que quando vc entr na loja pra comprar os caras falam"mãos ao alto" ou"perdeu,play"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camomila, é você?

      Excluir
    2. voce nao entendeu tio,vou desenhar...o assalto é o preço na importadora.

      Excluir
    3. Tio??? hahahaha... Rapaz, você é que não entendeu. Perguntei se era a camomila pelo português sofrível.

      Excluir
    4. Ah tá professor PAsquale,senta lá!

      Excluir