Facebook


Pesquisar no blog

sábado, 3 de maio de 2014

O ÚLTIMO BAROLO II


 


 
 
 
 
Já bebi de tudo: Sangue de Boi, La Tache, Château Duvalier, Montrachet, Miolo Seleção, Château Musar, Barbera Perini, Brunello Biondi-Santi, Chalize, Chambolle-Musigny, Salton Talento, Viña Tondonia ....... Toda as piores porcarias e, também, os melhores vinhos do planeta.
 
 

No começo a grana curta, conhecimento ainda mais curto, poucas opções, reserva e protecionismo, insanos, ao vinho nacional etc., me obrigaram a engolir “quase-vinhos” com os quais hoje eu não lavaria nem meus pês (para não dizer outra parte do corpo...).
 

 Viagens para Europa, a descoberta das grandes etiquetas aconselhadas por revistas e guias especializadas, amizades com produtores, viticultores e sommeliers italianos, franceses, portugueses....

Finalmente a descoberta e consolidação do meu próprio repertorio vinícola.
 

Porcaria? Nem de graça....

Etiquetas caras? Somente grátis!

As minhas preferências:

Melhores Brancos 1) Champagne

                             2) Chardonnay da Côte de Beaune 

Melhores Tintos: 1) Barolo

                            2) Pinot Noir da Côte de Nuits.

Gosto de inúmeros outros vinhos (basta ler matérias em B&B para comprovar minhas palavras), mas na minha adega 90% das garrafas são das regiões ou das denominações acima elencadas.

Quantos Barolo já bebi?

Não sei!

 Garanto que não foram poucos, mas poucos tão bons quanto o “ÚLTIMO BAROLO DO MARTINELLI”; o Marcenasco 2009, que Massimo me ofereceu, semana passada, em sua casa.
 

Ao descrever o Marcenasco 2009 poderia me aproximar perigosamente dos patéticos-patetas “sommerdiers” tupiniquins e de suas ridículas degustações.

 Prefiro, então, reproduzir a minha primeira exclamação quando levei a taça do “Ultimo Barolo” ao nariz: “Há un profumo di Mondo...Sa di Mondo” (Tem Aroma de Mundo…Lembra o Mundo tem Sabor de Mundo).

Nada mais a dizer, nada mais a acrescentar para descrever um grande vinho, um vinho emocionante.

Querendo saber mais, sobre o que estava bebendo, provoquei o Martinelli: “Como você vinificou este Barolo?”

“Como sempre.... 50% em barrique e 50% em grande tonel”

Continuei: “Mas o vinho não tem “sabor madeira” não se percebe a madeira da barrique

“E, por acaso, no Saint Aubin Lês Pucelles, do Lamy, você percebeu a madeira?”

Respondi negativamente e Massimo continuou: “O “segredo” está na uva. Uma grande uva, quando vinificada com inteligência, se transforma em um grande vinho que incorpora as qualidades da madeira, mas continua vinho e não o contrário”

Provocativo, continuei “Você usou algum tanino selecionado”
 

Massimo ficou vermelho, me fuzilou com os olhos e respondeu: “Eu sou um cara sério, meus vinhos são sérios…Taninos, só aqueles da uva”.
 
Rindo de sua indignação, bebi mais um gole de seu estupendo “ÚLTIMO BAROLO”

Voltemos ao presente: Quem encontrar o Marcenasco Renato Ratti 2009, não pode perder.

Barolo Marcenasco 2009, um grande vinho, generoso, nobre, com sabor de Langhe e aroma de Piemonte.
 

 

PS Desculpem a insistência, mas é preciso sempre lembrar e conscientizar o consumidor que os predadores gaúchos do vinho continuam nos roubando descaradamente: O deplorável Singular Nebbiolo, da Lídio Carraro, custa indecente R$ 258.
 

O Barolo Marcenasco 2009, da Renato Ratti, é encontrado, nas enotecas italianas, por 40 Euro (R$ 130) 

Veja:

 



Renato Ratti Barolo Marcenasco 2009


Renato Ratti Barolo Marcenasco 2009

Vino rosso

Produttore: Cantina Renato Ratti
Origine: Barolo (Italia)
Uve: Nebbiolo   


Prezzo: 36,70 € IVA inclusa. bottiglia di 0,75 L


 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

13 comentários:

  1. ummmmmmmmmmmm, temos aqui uma acao entre amici? esse vinho em todas as safras tem pontuacoes bem modestas para um barolo. e nem venha com esse papinho que ponto serve para trouxas porque alguma coisa safra apos safra de pontuacoes 'mansas' quer dizer. nem vem com 'massimo nao da dinheiro a critico por isso os pontos sao tao modestos'.

    minha fonte foi o erobertparker.com

    ok, o edificio martinelli eh seu amigo e por isso voce tende a dar ao vinho dele uma p importancia e qualidade....mas quero ver as cegas esse vinho emergir como o campeao da giornatta.

    e outra = matou um barolo 2009? um vinho desses deveria ser deixado para evoluir por muitos e espetaculares anos.

    olho no teclado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1°) Pontos servem para trouxas , cirurgiões e para serem vendidos pelos "produtores de pontos"
      2° O Matinelli, conforme frisei, saiu da Renato Ratti em 2010 e agora , exatamente agora, precisa do meu "empurrão"
      3º) Vc entende de pontos e não de vinhos.... O Barolo Marcenasco, como todos seus irmãos das Langhe, passou por uma mudança no método de vinificação. O Barolo, hoje , não é mais um vinho que necessariamente precise envelhecer décadas para evoluir, o Barolo pode perfeitamente ser bebido com 5 anos de vida. No caso do Marcenasco , em questão ,já estava perfeito conforme escrevi.
      Mais uma coisa: É "giornata" e não giornatta....Olho no teclado, amigo.

      Excluir
    2. Velho e nao tao bom bacco que nunca esta errado.

      Ah pequenino, se todos fossem iguais a voce....oh wait, Sie sind es!

      Pontos sao para trouxas ate um ponto, mas cuidado, ano apos ano com pontos modestos ja apresentam uma correlacao perto de 1.0.

      Ta com medo? Faca o julgamento de Brasilia as cegas. Eu juro que mando um barolo de verdade para voces. Todas safras tem que ser do mesmo ano. 750 ml divididos por 50ml da para 15 pessoas. Campioni decenti estatiscamente.

      Ha ha, amigo de produtor igual ao Bilu Teteia....

      Excluir
    3. Jogou pesado ! "Amigo de produtor igual o Moringa?" rsrsrsrsrsrsrsrsr

      Excluir
  2. Baccos,
    Também não gosto de pontos. Mas só para citar, o Marcenasco 2005 recebeu 96 pontos da Wine Speculator e foi top 100 em 2009. Para mim, isso não vale nada, mas não considero baixa pontuação. Eu bebi um 2004 tempos atrás e estava maravilhoso. Pena que aqui no Brasil subiram os preços das safras seguintes, após a famigerada e inflacionária pontuação. Mas quando comprei o 2004 era um pouquinho só mais caro que o "Barolo" nacional. Gostei do "sabor de Langhe e aroma de Piemonte". Boa definição.
    Salu2,
    Jean

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jean, no Brasil há ladrões em todos os cantos e adegas.... Grande vinho por R$ 120. Quando tiver oportunidade ,prove,

      Excluir
    2. Dr. Robert LLC Inc deu bem menos pontos ao afamado vinho. Quase que nao rompeu a barreira dos 90 pontos em alguns anos.

      Fonte: Erobertparker.com.

      Excluir
    3. É o mesmo Parker que dá noventa e tantos pontos para geléias argentinas? Ou era algum de seus colaboradores?

      Excluir
  3. Tem o 2006 naquela que ao invés de expandir,retrai.Tá tão barato que vou comprar pra fazer um brasato!748 pilas...fala sério.Abraço

    ResponderExcluir
  4. Antes de citar nome de vinhos, verificar sua ortografia. Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado ,mas vc também errou : Chalize não é vinho e Chalise continua não sendo vinho . A grafia não muda a solene m..... da Assalton

      Excluir