Facebook


Pesquisar no blog

quarta-feira, 14 de maio de 2014

CHAMPAGNE II


 


Antes de começar a matéria, um esclarecimento: Anônima, aluna da AB$, enviou um comentário defendendo a associação que acredita ser capacitada para profissionalizar sommeliers.

Nossa “sommerdier” afirma que os profe$$ore$ da associação já lhes haviam revelado, em uma das aulas ministradas, o mistério das letras NM – RC – CM, etc. estampadas nas etiquetas de Champagne.

Ótimo!

Bom sinal!

Finalmente os mestres da AB$ aprenderam a consultar, agora e corretamente, o Google.....
 

Nossa querida “sommerdiers” poderia ter economizado tempo e dinheiro consultando, também e direto, a mesma fonte onde buscam “sapiência” os me$tre$ da AB$.

Gostaria que nossa “sommerdier” comentasse, em seguida, se a AB$ já lhe revelou os dados que apresentarei abaixo.

O Champagne é caro?

Vale o que custa?

Vejamos:

Na região Champagne a uva custa entre 4 e 6,5 Euros o quilo.

Para produzir uma garrafa do vinho, dependendo da qualidade, são necessários 1,2/1,5 kg de uva.

Somente com a matéria prima, uva, o custo, então, pode se aproximar dos 10 Euros.

O vinho demora no mínimo 15 meses, ou vários anos, para se transformar em Champagne e ganhar as prateleiras das enoteca.

Capital imobilizado por longo tempo, alto custo dos vinhedos (aproximadamente um milhão de Euros por hectare), as incontáveis fases que precisam de mãos de obra especializada, garrafa, rolha, embalagem, etc. etc. etc.......

Você ainda acha que, um grande Champagne, por 30 Euros é caro?
 
 
 
Champagne Piper Heidsieck Brut
ChaTipologia: Spumanti & Champagne | Regione: Francia | Denominazione: Champagne AOC
Prezzo: € 25, Champagne Piper Cuvée BrutFin
 

 

Quando falo de “Grande Champagne” não estou me referindo aos comerciais Moet & Chandon, Cordon Rouge, Veuve Clicquot, Piper Heidsieck, Bollinger etc., estou pensando, por exemplo, no ótimo Brut Réserve da BERÊCHE & FILS.

O Brut Réserve da Berêche & Fils, por 30 Euros, consegue ser mais barato do que o nacional Chandon (Charmat) Excellence (R$ 109).

Caro, caríssimo, extorsivo, estuprador é o preço de um Cave Geisse Blanc de Blanc: R$ 85

Não encontro palavra (gostaria, mesmo, de dizer um palavrão...)  Para classificar o indecente preço do   Cave Geisse Philippe Dumont, R$ 280,00.

Sempre é bom lembrar que o mesmíssimo Champagne, na vinícola francesa que o produz, custa 16,50 Euros (R$ 54).
Veja e você que o comprou da predadora Geisse, não chore, afinal bobo e caspa nunca acabam....
 
 
 1er Cru - Citée au guide Dussert Gerber 2007 et 2008 Champagne qui développe pleinement ses arômes et sa finesse au travers de son cycle de viellissement en cave
La bouteille : 16.5 €
 

 

A denominação “Champagne” é regida pela “Classificação de Vinhedos”.

A “Classificação de Vinhedos”, que foi estabelecida em 1911, se baseia na qualidade de cada cru e da distância que o separa o cru do coração comercial da região: Reims e Epernay.

O sistema classifica os diversos municípios da Champagne baseando-se no valor comercial das uvas ali produzidas que é expressa através de um valor percentual.

Os municípios são classificados em três categorias: Grand Cru, Premier Cru e Cru.

No Grand Cru as uvas custam 100% do preço estabelecido, no Premier Cru 90-99%, no Cru 80-89%.

Simplificando: As uvas provenientes de um município Grand Cru, com classificação 100%, serão pagas exatamente pelo preço cheio estabelecido.
 

As uvas proveniente de um município Premier Cru classificado com o 85% serão pagas 85% do preço estabelecido e assim por diante.

Exemplo: Se o preço das uvas for estabelecido em 10 Euros, as uvas provenientes de um Grand Cru custarão exatamente 10 Euros.

As uvas, proveniente de uma aldeia classificada como Premier Cru 85% custarão 8,50 Euros.

Parece complicado, mas o sistema funciona e bem, há mais de 100 anos.

Atualmente somente 17 municípios podem ostentar a classificação “GRAND CRU”, 41 “PREMIER CRU” e 255 “CRU”.

Os 17 GRAND CRU

Na Montagne de Reims: Louvois, Bouzy, Ambonnay, Verzy, Verzenay, Maully-Champagne, Beaumont-sur Vesle, Sillery, Puisieulx .

Na Vallée de la Marne: Ay, Tours-sur-Marne.

Côte de Blancs: Oyry, Chouilly, Cramant, Avize, Oger, Mesnil-sur-Oger

Na próxima matéria mais Champagne.

Dionísio

8 comentários:

  1. Baco.
    Falo com conhecimento de causa.
    Fiz Ab$ RJ (básico e avançado), várias turmas de degustação e a cada viagem comprovo que as aulas da Ab$ são muito superficiais.
    Estive em Champagne em 2011 e apenas comprovei que estou muito longe de saber alguma coisa sobre vinhos. Como exemplo, nunca tinha ouvido falar sobre Rose de Saignee e creio que poucos na Ab $ saibam do que se trata.
    Em 2013 fui à Borgonha e novamente percebi que não sabia nada....
    Resumindo. ..quer aprender? Viaje, visite produtores, regiões e procure ouvir as pessoas que ali vivem a gerações.

    Apenas um registro. Champagne tambem tem seus predadores. Comprei grand crus de pequenos produtores a 20, 30€, mas basta vc ir à Moet Chandon para ver que os preços são absurdos e a qualidade bem inferior a dos vinhos mais em conta.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na mosca!
      O Rosé de Saignée na Itália 45/50 £.
      A Moet & Chandon é tão predadora quanto a Geisse. Miolo , Carraro
      É uma indústria , não uma vinícola.
      Bacco

      Excluir
  2. Pestes Negras, bom post.

    Recentemente eu procurei algumas vinicolas na Europa para fazer um investimento. Nao se preocupem, nao sou tao rico quanto voces ou o Eike. Eh bem sabido que varias vinicolas se encontram em situacao dificil, entao fui atras de algumas galinhas mortas.

    O que vi me deixou bem surpreso. Tanto na Espanha quanto na Italia os numeros nao batiam. Estao meramente sobrevivendo com um breakeven ou entao estao no negativo. Como hoje a inflacao esta baixissima na europa (ou ate mesmo em deflacao) as taxas de juros estao quase zeradas e o cara aguenta o cheque especial de 5% ao ano.

    Perguntei por que havia tanta gente indo cada vez mais para essa aventura se todos sabem que o negocio eh bom para poucos. As respostas foram muitas...

    1. ego. o dono da vinicola se sente bem, sendo ele famoso ou nao, por ter uma vinicola.
    2. ignorancia financeira e do negocio
    3. esperanca (ignorancia) que alguem caia do ceu e veja um puta valor na vinicola e compre-a por um premio em relacao ao que foi pago
    4. esperanca, fe. aquela coisa idiota que acompanha todo empreendedor e ainda mais o pessoal da zona rural. se voce acha que quem abre lojinha de bolo na vila nova conceicao (aluguel $$$$$$$) um louco, nao conhece o produtor rural.
    5. jogada com impostos. a holding absorve o mau resultado (natural ou induzido) da vinicola e com isso consegue tax deduction resultando em numeros melhores no final do ano contabil.

    No Brasil o caso eh perdido. Apesar dos precos predatorios sao poucas as empresas grandes que estao bem bem bem mesmo. Algumas mencionadas aqui estao em boa situacao. Outras que nao foram citadas dessa vez sao mais solidas que margarina no sol quente. Ainda que com toda metodologia predatoria em curso.

    ResponderExcluir
  3. Meu caro "Bacco" rs, Determinadas abordagens devem ser um pouco mais humildes quando o autor delas carecer de conhecimento sobre a matéria, do contrário, faltará bom senso. Matéria que eu digo é sobre vinho no geral e não somente sobre Champagnes. Aliás, no universo do vinho, devemos sempre ter cautela e humildade antes de tentar passar qualquer informação. Algo novo sempre baterá em nossa porta e podemos ser surpreendidos. É exatamente isso que faz desse universo tão belo e fascinante. Pois bem, saber, ou simplesmente escrever sobre siglas de garrafas de Champagne, nomes de alguns produtores, e classificações em blogs não lhe da condição de criticar qualquer associação que seja, mesmo porque, é através de atitudes como essa que identificamos os "aventureiros," que através de blogs colocam suas emoções pra fora contaminando a bebida do verdadeiro Baco. rs Já está bem demodê esse modelito de blog não acha? Ou você descobriu o Brasil?? rs A proprósito, aí vai um bom livro pra você, Champagne de Gerhard Eichelmann. Outro ponto a ser abordado é em relação ao Cave Geisse Blanc de Blancs Brut que o "Bacco" achou caro. Puxa vida. Esse "Bacco" sabe das coisas. Sabe das coisas porque não fez ABS! rs Meu caro, segundo o IBPT, 64% do valor de um vinho nacional é de puro imposto! E do nosso governo você se esquece? Aí você critica a vinícola dizendo que a mesma é uma predadora, que aos trancos e barrancos tenta se adequar aos buracos fundos que esse miserável governo cava. Sem falar que a mesma possui o mesmo método de produção da gloriosa Champagne e fica 28 meses em autólise. Sendo assim, adentrando ao seu raciocínio a Cave Geisse Blanc de Blancs talvez valha o que custa, pois não deixa de ser um bom espumante. Afinal, repita-se, 64% do valor é de impostos. Quer uma dica, utilize seu espaço para informações mais concretas. Em relação as informações sobre Champagne ótimo, mas não se utilize disso para fazer criticas infundadas, afinal é muito pouco! Quero deixar claro que não fiz ABS e não tenho participação em nenhuma vinícola nacional, entretanto devemos ser justos. E humildes, claro. Abraço "Bacco" rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imposto no Brasil (calculo final): tem que ver de onde vem para onde vem e em qual regime tributario o produtor e o comprador se enquadram. IPI, PIS, COFINS, ICMS, ST e IR sao os impostos participantes do preco.

      Para pessoa fisica dependendo do estado nao ha incidencia de ICMS ou ST (assumindo que os vinhos saem do RS ou de SC), fato que as predadoras adoram pois podem colocar ate as bolas no toba do consumidor e aumentar muito a margem final.

      E pau no toba dessas eScola$ de sommelier da vida (todas iguais ou ''co-irmas'') que pouco fazem para ajudar na divulgacao da bebida no pais.

      Se elas nao fazem isso, quem vai fazer? O Ze Ruela no posto ipiranga? A confraria do Collor? Aquela casa de swing de casais que compra reservado C&T e chandon?

      Concordo numa coisa com o humilde do comentario: Custo oportunidade de espumante no brasil com 36, 48 meses para producao os vinhos ficam muito caros.

      Excluir
  4. e aprove o comentário hein...abraço "Baccos" hahahahahah

    ResponderExcluir
  5. Ao anônimo revoltado.Você acompanha este blog? Com certeza não, outrora não estaria falando tanta asneira!!! Uma pergunta o seu admirável Cave Geisse tem a mesma história de terroir que qualquer Champagne vagabundo da França? Você pode provar que o Geisse foi bem trabalhado no mercado nacional assim como é o Champagne na França? Comparação ridícula assim como você, os predadores da Geisse querem encher o bolso com idiotas como você, acorda!!! Indústria vinícola nacional quer estuprar qualquer brasileiro desinformado, as AB$ só querem patrocínio e enganar fingindo que ensinam algo. Acho interessante você esta pedindo humildade, você faz isso também para as vinícolas predadoras ou esta só enchendo o saco por aqui? o único que carece de conhecimento por aqui é você porque o restante esta bem feliz e contente com este blog desmascarador .Faz um grande favor usa este discurso bobo lá no Sul, apesar de te adiantar que é melhor falar para as paredes, nem aplausos do monstros você consegue ganhar por lá!!!

    ResponderExcluir
  6. Olha, quando o autor do blog começa a postar como anônimo é que a coisa tá feia! kkkkkk Uma salva de palmas para o metido a sabichão Anônimoautordesteblog! (sabe de nada, inocente!!!) kkkkk

    ResponderExcluir