Facebook


Pesquisar no blog

terça-feira, 29 de abril de 2014

PREDATORIUS VINICULUS GAUCHURIUS


Leio, com satisfação, que mais um produtor internacional aporta, com seus espumantes, em terras brasileiras.

A Freixenet, gigante espanhola, seduzida pelo sedutor e crescente mercado nacional de espumantes, faz parceria com a “Predadora Miolo de Vinhos” para produzir suas garrafas borbulhantes em território Gaúcho .

A Freixenet e Miolo, já em junho, garantem o seu mais novo rebento nas prateleiras dos supermercados nacionais.

O espumante, elaborado com método tradicional. vinificando as castas Chardonnay e Pinot Noir, chamar-se-á: “X BRUT”.
 

Quando dois gigantes se encontram o Adolfo Lona que se cuide: Gigantes detestam anões....
 

O Lona não é anão, mas quando a Miolo, através de sua máquina de distribuição, invadir o mercado com mais um produto de fama mundial, alguém perderá mercado e quem perde mercado, nestas ocasiões, sempre é o pequeno.

Por enquanto a Miolo e Freixenet   não produzirão uma gota sequer de espumante “X BRUT” em solo gaúcho e todas as garrafas virão diretamente de Mendoza, filial argentina da vinícola espanhola.
 

A qualidade do “X BRUT” é, para mim, ainda um mistério, mas já deu para perceber que a Freixenet foi infectada pelo vírus “Predaturius Viniculus Gauchurius”:O mesmíssimo espumante, que no Brasil será vendido por parcos R$ 42, é comercializado, na Argentina por 37 Pesos (R$ 10,29).
 
 
Espumante Extra Brut - Freixenet- Novedad

 
$ 3700
12 cuotas de $ 472

    • Artículo nuevo
    • 1 vendido
    • Buenos Aires
      1.  

      A Freixenet, mal chegou e já bota pra ........ (Rima rica....)

      Apenas para confirmar a presença do vírus “Predaturius Viniculus Gauchurius”:

      X Extra Brut
      Añada actual: 2011
      Variedad de uva: Exclusivo blend de Chardonnay y Pinot Noir. X es un sparkling wine producido por Freixenet en Argentina. Responde a un concepto joven y moderno, combinado con nuestra tradición y la excelencia en la elaboración de espumantes en todo el mundo. Producido en Mendoza - Argentina
      Color: Posee delicados tonos asalmonados, aportados por la intensidad del pinot noir. Sus burbujas son finas, delicadas y persistentes.
      Aroma: En nariz es frutal, elegante y muy complejo. Presenta un agradable aroma que nos recuerda a nueces y almendras, con notas de pan tostado.
      En boca: Mantiene la frescura de la fruta. De agradable cuerpo y textura. El final es largo y refinado.
      Grado alcohólico: 12%
      Dosage: 7 gr/l
      Recomendaciones gastronómicas: Es un excelente acompañante de aperitivos, pescados, frutos de mar, sushi, comida thai, carnes rojas delicadas, mousse de limón o naranja.
      Temperatura de servicio: 6 a 8°C
      Precio sugerido de venta al público: $40,49 (R$ 11,26)

       

      Dionísio

 
 
 
 

 
 
 

6 comentários:

  1. Mesmo artigo de sempre com o mesmos comentarios de sempre das mesmas pessoas. Isso no minimo mostra que nao ha nada de novo ou de melhor no mercado, incluindo nos.

    Didi, seu peste babilonico, eis meus pitacos. Caia de costas como alto nivel deles.

    Primeiro eu conheco esse vinho. Pavoroso.

    Segundo eu nao acredito que esse monstro liquido va roubar mercado dos pequenos. Pequenos com qualidade ficam restritos ao RGS ou chegam em pequenos volumes a mercados distantes. As pessoas que compram vinhos feitos pelos ''pequenitos'' sabem o que compram. Os trouxas, incautos, ou gente de ultima hora que esta com pressa vai ao supermercado e pega esse tipo de espumante la. Quantas pessoas vao comprar o vinho pensando que foi feito na espanha? Acho que muitas.

    Terceiro azar da qualimpor por ter se aliado com gente desse tamanho. Ou achavam que essa ''parceria'' duraria para sempre?

    Quarto: Materia [ino]organica similar se atrai mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Dionísio,
    eu já provei esse Freixenet argentino (vendia no Empório Santa Maria em São Paulo) e realmente era bem fraco. Não tinha nada a ver com o Freixenet espanhol, que apesar da produção em massa, ainda tem boa qualidade.
    Paguei cerca de R$ 27,00 em 2013, mas depois sumiu das prateleiras e acho que não importaram mais. A Freixenet Cordon Negro custa mais de R$ 70,00, então mesmo que seja ruim e que custe 4 x mais que na Argentina, penso que vai vender que nem agua... Coitado do consumidor.
    Grande abraço,

    Alessandra Esteves
    www.damadovinho.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Brasil do deslumbramento o pessoal paga um café mais caro do que na Europa . O Freixenet seguirá a mesma linha. Há otários pra tudo

      Excluir
  3. Lembram da pegadinha do Toro Loco? Fizeram uma destas com o espumante brasileiro. Já viram? Merece um artigo.
    Salu2,
    Jean

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vimos . Mande o link abç

      Excluir
    2. É só digitar a palavra "hemisferio" na busca do enoblogs que aparece uma enxurrada de artigos sobre o tema. Tivemos o nosso "Julgamento de Paris" e o espumante brasileiro arrebentou! hahaha. Vejam os jurados. Tem gente bem conhecida na lista. O negócio foi muito criterioso. Foram 11 espumantes método Charmat e 10 Champenoise. Uma amostra realmente impressionante. E segundo dizem, ao final, o Steven Spur-riedo mandou o seguinte: "You should be proud of your sparkling wines. You don't have to drink Champagne in Brazil".
      Abs

      Excluir