Facebook


Pesquisar no blog

segunda-feira, 7 de abril de 2014

POLITICAMENTE INCORRETO


 


Quando escrevi, em tom de gozação, que os casais “da gema” fizeram um papelão em Montalcino, já esperava que alguém, da turma de nossos antigos, mas sempre atentos, patrulheiros, revelasse sua desaprovação.


 

B&B não escreve para o turista “Visite a Europa em 7 Dias e Paguem 6 de R$ 543,18” nem para o palerma  do frango com farofa que nos saguões dos aeroportos fica 40 minutos em pé na fila de embarque e com ar de cansaço e muita saudade, confidencia aos companheiros de espera: “Tô morrendo saudade do nosso feijãozinho com arroz” e tampouco para os que visitam uma das cidades mais emblemáticas do mundo dos vinhos e recusa veementemente provar o produto local, como se veneno fosse.
 

Eu , Dionísio, estou ca.....do e andando para os palheiros do "politicamente correto” que desejam um mundo em que é preciso pensar dez vezes antes de emitir um pensamento, uma opinião, ou uma simples gozação, que possa melindrar as famosas “minorias”.

1º) Palermas não são minoria, palermas são a esmagadora maioria.

2º) Acho, sim, que somente um palerma faz turismo em Montalcino, Barolo, Gevrey-Chambertin, Chablis etc. sem gostar de vinhos.

3º) Concordo com o patrulheiro quando escreve: “....por não serem "refinados" os indivíduos não poderiam estar em Montalcino?  “Poderiam estar”, como estiveram, mas se não possuírem mínimo de refinamento cultural perderão tempo e dinheiro com algo que jamais entenderão,

4º) Para os quatro palermas, em questão, melhor seria, então, sentar na Piazza Navona comer pizza em fatias e se deliciar ouvido o cantor "típico"  se esguelhando no macarrônico “Funiculì Funiculà”.

B&B escreve para o turista que quer conhecer Pietrasanta, Monticchiello, Stresa, Pitigliano, Malcesine etc.etc. e para os politicamente abertos “ma non troppo…”

Dionísio

  

14 comentários:

  1. muito bom, Dionísio. acrescento uma coisa: não é preciso ser refinado para fazer turismo em Montalcino, MAS é preciso, no mínimo, estar aberto a provar o que a cidade e a região têm de melhor a oferecer. e nesse caso, isso passa pelo vinho.

    imagine que esses brasileiros, por alguma loucura do destino, não conhecessem o Brunello, mas se dispusessem a aceitar uma sugestão do Antônio, quando este os serviu. mesmo que não gostassem de vinho, teriam uma experiência nova pra contar, teriam conhecido Montalcino de verdade. porque viajar, seja pras melhores áreas da viticultura europeia, seja pra Miami, é ter experiências novas. e isso não tem necessariamente a ver com refinamento, mas com cabeça aberta, disposição de conhecer outras culturas. é mais simples. como você disse, B&B não é um site para quem viaja para conhecer outros McDonalds ou outras Sbarro. e azar de quem faz isso.

    ResponderExcluir
  2. Concordo , mas infelizmente hoje é preciso pisar em ovos (da gema?) para não melindrar as "minorias".
    Vc já imaginou onde iria parar o David Nasser se compusesse, hoje, "Nega do cabelo duro"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tem isso... Deus do céu, como o mundo ficou chato depois do politicamente correto

      Excluir
  3. Ha turistas ignorantes no mundo todo, todo o tempo, pessoal.

    Quantos nao vao para Londres e sequer pisam em algum dos 5000 museus gratuitos da cidade? Quantos vao para NYC e passam longe dos museus e lugares historicos? Quantos vao para o Japao somente para acompanher o curinthia num jogo imbecil e nao pisam no monte Fuji ou em museus?

    Quantos vao a Paris e jamais dao uma esticadinha ate Normandi?

    Nascer ignorante, todos nascemos..., mas ha uma leva de gente por ai que se recusa a aprender a gostar daquilo que importa na vida, incluindo cultura. Ha um numero enorme de gente que vai ate o coliseo e o maximo que faz eh comprar souvenir e pegar uma puta nas redondezas.

    Adios, pestes.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo post em resposta a meu comentário.
    Fico satisfeito que sua opinião a qual, obviamente, você tem todo o direito seja mantida.
    De forma similar, exprimi minha opinião acerca do post e a mantenho (apesar de, aparentemente, não ser de bom tom ter opiniões diferentes da sua por aqui).
    Gostaria de deixar claro que meu comentário não implica em concordância de minha parte com relação ao comportamento do grupo. Entretanto, a forma que o grupo foi retratado foi, sim, desrespeitosa e acho isso desnecessário.
    Apesar de discordar de algumas de suas opiniões, reconheço o valor de seu blog e o agradeço pelas valiosas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem está sendo preconceituoso agora? "(apesar de, aparentemente, não ser de bom tom ter opiniões diferentes da sua por aqui). Não há censura em B&B todos escrevem o que querem e os post são publicados . Acredito que a maioria não concordou com sua postagem , mas isso se deve à total liberdade de expressão , aqui. Eu continuo achando que os quatros eram uns palermas da gema despreparados , e obtusos o que há de pior do " nunca antes nesse pais....."

      Excluir
  5. E o problema que é o tal do "elitista, refinado".

    Se eu vou pra Miami e falo que odeio praia e Outlets, 99,9% das pessoas vão me chamar de idiota e perguntar: "O que você foi fazer em Miami então?"

    Aí tudo bem. O burro sou eu.

    Agora, os cariocaxxx vão para Montalcino, não gostam de vinho, e querem comer pizza, e ninguém pode perguntar o que eles foram fazer lá?

    Criticar quem não gosta de praia e compras (e vai pra Miami) é aceitável, mas criticar quem não gosta de vinho (e vai pra Montalcino) é elitista, preconceituoso, etc.?

    Hipocrisia e complexo de vira-lata, a gente vê por aqui também!

    ResponderExcluir
  6. O Brasil, particularmente, está um saco com este negócio do politicamente correto. Nem "atirar o pau no gato" as crianças podem cantar. Passei minha infância lendo Monteiro Lobato, que também foi proibido. E por aí vai. Logo, sorrir será politicamente incorreto. Mas dar calote, corromper, depredar e tantas outras coisas, parece não ser.
    Salu2

    ResponderExcluir
  7. disse tudo. e tem mais, quem acusa o preconceito em tudo, é pq com ele está contaminado. Geralmente, são as pessoas mais preconceituosas, só que com o oposto. E esse povo é a maioria, é o carioca que trabalha em São Paulo reclamando do transito, como se no RJ fosse melhor; é o Paulistano que mora no RJ e reclama da praia (como se bom mesmo fosse shopping); é o gaúcho que acha que ali é o melhor lugar do mundo, mas nunca foi além de santa catarina; o baiano que acha que bom mesmo é ser baiano... e por aí vai. Essa história do Carioca em Montalcino me lembra um episódio mais aqui perto, no Rio mesmo.

    Sou fã de um bom hamburger, morava no RJ e passava vontade. RJ tem uma certa carencia por bons hamburgueres. Pois bem, eis que estava para abrir uma rede paulista que remete aos anos 50's, aquela do hamburguer de PICanha, e lá fui eu matar a saudade da maionese verde. Pois não é que na hamburgueria, me senta na mesa ao lado um carioca (da gema) e seu amigo e o que eles pedem??!?!? Hamburguer? Fritas? Milk Shake? Coca? Não! "Me vê aí um omelete de claras e um suco de morango com laranja". WTF? Omelete de claras? Na hamburgueria? Moral da história, sairam insatisfeito pq não gostaram do omelete (que não era só de claras).

    Aí eu te pergunto a culpa é do lugar? Não, a culpa é do cliente. Aí vc que vai pra Europa, tenta arranhar o frances, o italiano, tenta se comunicar e ser simpatico e em contrapartida é bem atendido se pergunta pq tem tanto brasileiro que fala mal da Europa, que diz o povo é mal educado, que atende mal os turistas... será que a culpa é do lugar? Ou é do turista?

    (detalhe, não sou carioca, tampouco paulistano, mas morei bastante tempo nos dois lugares).

    ResponderExcluir
  8. Nobre escriba,

    Qual o seu e-mail?

    Att.,

    Doni

    ResponderExcluir
  9. Concordo com o Seu Meliê. Eu também tento arranhar a lingua pátria de onde visito, conhecer seus costumes, respeitar suas tradições. Nunca fui mal tratado em alguma de minhas viagens. Pelo contrário, sempre fui tratado de forma muito educada. E aqueles brasileiros que ficam reclamando, provavelmente vão reclamar quando viajam dentro de seu próprio país também. Ou seja, são motivos de vergonha em qualquer lugar...rs.
    Salu2

    ResponderExcluir
  10. Imagina o Tim Maia cantando `"....só nao pode dançar homem com homem e nem mulher com mulher...!"Seria julgado pelo STF sem direito a embargos infringentes!..
    Sou filho de portugueses e o lugar que mais fui maltratado na Europa foi em Lisboa e arredores...quando fui para Porto,deixei o masoquismo de lado e comecei a falar inglês...foi uma maravilha!
    Não se preocupe com os da gema,após o lançamento do brrrrrrrrunelo,ano que vem estarão lá para visitar "la fiorita"na esperança de encontrar o prrrrrrodutor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Otima experiencencia que tive em Paris; ja cansado de ser explorado por ladroes no comercio comecei a desfilar nas ruas com camisa da bandeira do todo poderoso USA USA e mostrar US$ para pagar as contas.

      E o basico hilario,; elogios ao queijo ingles, falando em ingles. No interior da Francia nunca tenho problemas, mas Paris poderia ir para o polo sul que nao sentiria saudades. Lixo.

      Excluir