Facebook


Pesquisar no blog

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

NA MORINGA



Os blogs sobre vinhos, que fazem os leitores de bobos, nunca acabam nem diminuem, aliás, aumentam.
Quando ridicularizamos o Gladson e seu salame, o blogueiro se ofendeu e retirou seu embutido da web.
Nem todos, porém, possuem a estofa do Gladson e apesar de ridículos, continuam agredindo os olhos, ouvidos e mentes dos pobres leitores.
“Didu-Bilu-Secondo-me-Tetéia” é um exemplo mais que clássico.
Cascatas de bobagens, elogios estapafúrdios e melosos, defesa do indefensável, coluna vertebral elástica, lambedor de pés poderosos.... Vale tudo para alcançar os famosos 45 segundos de notoriedade.
Nem um pontapé na bunda, que aquele produtor que adora gel no cabelo, lhe aplicou, durante uma Expovinis, parece ter afetado sua tremenda cara de pau.
 
 O Didu-Bilu-Tetéia, defensor e fã (será que levou algum...?) do ex-fotógrafo, hoje viticultor narcisista e descobridor de uma nova Côte D’Or nas serras do sul que doam Pinot Noir tão bons ou superiores aos da Borgonha, resolveu, agora, promover vinhos de “Sotaque Sincero”

Leiam:
......O Patrico, já disse isso aqui outras vezes é uma pessoa que admiro pela sua autenticidade e sinceridade, além claro de termos semelhanças em nossas predileções por vinhos de sotaque sincero.

Sincero como você, Didu-Bilu-Tetéia?
Este Barzola não tinha nem rótulo, o Eduardo trouxe na mala e por sua generosidade e por saber de meu gosto por esse tipo de vinho (que ele também gosta aliás…) fez a gentileza de abrir para mim.
O enólogo Leonardo Barzola, me disse o Eduardo, é jovem e humilde, super acanhado e trouxe os vinhos dele para o Patricio provar e arrancou lágrimas do degustador. De mim também.

Lágrimas de tristeza? Piegas, sempre piegas, o Secondo Me....
........ O vinho tem amarena, crina de cavalo suada, moringa, aniz e discreto  tutti-fruti. Show de sinceridade de um Malbec......  

Vamos por etapas
Quem conhece, no Brasil “AMARENA”?
Você, que está nos lendo, já viu, cheirou, comeu uma “AMARENA”?
Eu, honestamente, nunca vi um pé de AMARENA e muito menos a fruta, no Brasil.
Para que não sabe a AMARENA é um tipo de cereja comum e difusa na Europa.
No Brasil é encontrada somente no quintal do Didu-Bilu-Tetéia.
Se você quiser comer AMARENA deverá procurar o jardineiro do “Secondo-Me” ou tentar encontrá-la em uma loja de artigos importados (Amarena Fabbri) 
 
Alguém já cheirou a crina de cavalo suada?
Aliás, há quanto tempo você não vê, cheira ou toca um cavalo?
Moringa?
Cheiro de moringa?

O que será que o Secondo-Me tem na moringa?
Alguma sugestão? Alguma ideia?
Preciso de sua ajuda para descobrir.
Falando sério: O cheiro de cavalo, estabulo, suor animal são tremendos defeitos do vinho causado pela Brettanomyces.

Não vou falar durante meia hora sobre o Brett (basta consultar o Google) para revelar que esta levedura, que elimina os aromas primários, substituindo-os por odores de estabulo, suor animal, couro, terra, esparadrapo, remédios, etc., além de “matar” o vinho, é, quase sempre, fruto de pouca higiene na adega especialmente nos toneis ou barriques.

O Brett passou a ser mais conhecido e pesquisado recentemente, mas, já no século XVIII, Voltaire, que apreciava vinhos do Rhone e da Borgonha, comentava que alguns deles tinham cheiro de merda.
Certamente Voltaire bebia alguns vinhos contaminados pelo brettanomyces.
Nosso Secondo-Me , que não é exatamente um Voltaire,  parece gostar de vinho sabor m....
Pena que Gladston não tenha levado para seu anonimato, além do salame, o Didu-Bilu-Teteia com sua moringa, sua amarena e sua crina de cavalo.
 
Uma pergunta que não quer calar: O aroma de crina molhada é aquele de um Mangalarga, Quarto de Milha, Árabe, Appaloosa, Andaluz......?

Dionísio

 

24 comentários:

  1. O pior é que há uma verdadeira legião de defensores dos vinhos fedorentos. As vezes pagam até mais por eles, para sentir todo o poder da Brettanomyces. Tem mal gosto prá tudo.

    ResponderExcluir
  2. Concordo que aromas de animal, ou aromas químicos como esparadrapo e esmalte de unha são desagradáveis. Mas isso não invalida o direito dessas pessoas, como o Didu, que preferem tomar estes vinhos, a tomar vinhos de granja, vinhos coca-cola, completamente corrigidos em laboratório, que tem mais aditivos do que uva, pra se evitar todos os defeitos do vinho.
    E criticar o direito do outro de dar sua opinião parece coisa de blog que quer fazer o leitor de bobo, de ganhar seus 45 segundos de fama. Ou é isso, ou o autor deste blog é a única entidade confiável no mundo do vinho, em todo a Brasil. A única pessoa que sabe tomar vinho, e quem tiver opinião diferente, está errado, e tem que aprender o certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca vi vinho de granja ou coca-cola aqui no B&B. Pelo contrário. E para evitar a maioria dos defeitos no vinho basta ter higiene. E quantos bons produtores na Borgonha, Bordeaux, Piemonte etc, corrigem vinhos?

      Excluir
    2. Concordo , há gosto para tudo . Há gente que adora Bordô suave.
      Preferir esse ou aquele vinho , porém , não autoriza ninguém a encontrar Crina de cavalo suada , Amarena, Moringa , Salame, Mortadela , Alcachofra e oscambau numa garrafa.
      Seu conhecimento de vinhos “laboratoriais” é falho: O sabor “tutti-Frutti” é típico de vinho que recebeu adição dos famosos envelopinhos “Sabor isso , Sabor aquilo e aquilo outro”
      Última coisa : Mais confiáveis de quem encontra moringa , salame, peixe de rio , outiço do mar et., somos.
      Mais outras: Todos sabem tomar vinhos , no Brasil, até o Didu-Bilu-Teteia ; agora comentá-los.....

      Excluir
    3. Como diria um tio meu, tem gente que gosta do olho, outros, da remela. Mas põe um Gaja no meio dos "Brettanomyces enriched" para ver com qual os caras enchem a taça primeiro.

      Excluir
    4. Basta ter higiene: encher as uvas de fungicidas e bactericidas, os vinhos de ácidos, SO2. Pasteurizar o vinho, quem sabe?!? HAHAHA!!!
      Não tem região mais cheia de vinho com Brett do que a Borgonha. Aquele sous-bois intenso de vários vinhos, é isso.
      E assim como comentado por outra pessoa a respeito das cervejas artesanais, essa é a proposta que defendem os produtores naturais, só que nos vinhos.
      Eu, particularmente, não gosto desses aromas, mas prefiro beber Brett, que não faz mal à saúde, do que beber fungicidas.
      A propósito, eu passeei pelo blog aqui, e não achei vinho sendo comentado, só artigo metendo o pau na opinião dos outros! Fala-se de vinho por aqui?!?

      Excluir
    5. Não , aqui falamos de MORINGAS!
      Vá tratar da catarata : vc ta ficado cego se não consegue ler nada sobre vinhos.
      Sous Bois , sottobosco em italiano , não tem nada a ver co Brett. Continue bebendo Brett e talvez , em breve, vc tenha o mesmo cheiro
      Mais uma coisa: vc não passou pelo blog , vc acessou para ler essa matéria. Gostou?




      .
      "Sous Bois" = sottobosco em italiano , poderia ser traduzido para o português como: Vegetação rala dos bosques europeus.

      Excluir
    6. Também não gosto de SO2, e tampouco de fungicidas. Já bebi inúmeros vinhos ditos "naturais", sem "pasteurização", e que não tem características da Brett. Ou seja, produtos trabalhados por quem tem noções de assepsia.
      Quer dizer então que estão selecionando leveduras? Ora, ora, logo vão dizer que isso também é manipulação.

      Excluir
    7. Ao dizer que passeei pelo blog, do verbo passear, eu disse que cliquei em vários posts, e não vi nada que não fosse menosprezar outras opiniões, ou outras pessoas. Acessei o link do Enoblogs para vir aqui, e não achei que acrescenta nada. São apenas acusações com o intuito de ganhar fama. Parece o Diogo Mainardi. Nenhum vinho comentado. Pelo menos, não que VOCÊ tivesse provado e comentado.

      Então, Diogo Mainardi do vinho, sous-bois é aroma natural da fruta, tem em todos os Pinot Noirs do mundo!!!
      Traduzir pra italiano não muda o fato de que é um aroma resultado de micro-organismos que agem no vinho. Inclusive, a Brettanomices.

      E ao amigo anônimo que tomou inúmeros vinhos naturais: em primeiro lugar, vinho natural não tem certificação. Daí, muitos produtores podem colocar SO2 e chamar seu vinho de natural. Em segundo lugar, estes aromas tendem a se intensificar com o tempo. Uma garrafa com 2 ou 3 anos pode não ter desenvolvido aroma em escala suficiente para que você sentisse o cheiro.

      Fui!

      Excluir
    8. Como foi comprovado que o sous-bois é oriundo de ação da Brettanomyces? Eu ficaria feliz em saber, e daria um ponto para a Brett, pois gosto do aroma de sous-bois.
      Quanto ao sulfito, é controverso. O vinho tem pouco dele comparado com muitos outros alimentos que consumimos. Acho que ninguém gosta de aditivos. No entanto, minha opinião sobre a Brett é que trata-se de um defeito, não uma qualidade. Mas como disse, é minha opinião, e não sou o dono da verdade.

      Excluir
  3. A cena do gelzinho metendo o pé foi demais..hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Didu Russo retirou o vídeo "Adriano Miolo , sem palavras" do ar.
      No vídeo o vaselinado deixava o Russo falando sozinho

      Excluir
    2. hahahahaha. Vaselinado é boa. Será que fizeram as pazes?

      Excluir
    3. Provavelmente , sim!
      Vaselina ajuda bastante.......

      Excluir
  4. Curiosamente, os Bretts não são sempre vilões no mundo das microcervejarias e da cerveja artesanal. São até desejados em alguns estilos como as Lambics e Saison. Atualmente, há uma tentativa de isolar cepas específicas da levedura para que o aroma deixado por sua fermentação seja mais previsível.

    ResponderExcluir
  5. Sim, o difícil , porém , é controlar .

    ResponderExcluir
  6. Nao sei como tem estomago para ler o que esse Bilu Teteia ''escreve''.

    O uso da tecnologia na producao de vinho foi uma bencao para muita gente. Ja pensou em tomar barolo como era feito ha dois seculos? Por outro lado me incomoda o fato que ate gotas de brettanomyces sao cuidadosamente colocadas no vinho, ou ate pasta de tanino, ou qualquer outra coisa que seja adicionada via laboratorio para dar um puff de aroma, corpo ou sabor.

    Nem todos tem a oportunidade de residir numa area onde haja producao de vinhos verdadeiros. Secondo me.

    ResponderExcluir
  7. Acompanho sempre o blog do Bacco e custuma ler tb o do Didi Russo mas fala sério em... O homen péla-saco! Nunca vi ninguém gostar tanto de postar coisas de seus grandes amigos e blá blá blá! Cansei de ver esse puxa saco falar tanta besteira. Não concordo com tudo do Bacco mas prefiro sua sinceridade ao invés da puxasaquice do Didu para poder beber alguns vinhos caros de graça!

    ResponderExcluir
  8. Acho que o Bilu Teteia lhe mandou m recado em "sobre aromas"

    ResponderExcluir
  9. Li e acho que o bundão quer justificar o injustificável

    ResponderExcluir
  10. Penso que quando se apresenta uma impressão sobre um vinho, devemos colocar algo que possa ser de conhecimento de outras pessoas e que tenha alguma lógica. Não posso colocar que o vinho tem aromas de gaveta da minha cômoda, luva de minha tia, galinheiro (Deve ser bom este, hein? kkkk) etc. Quem sabe o cheiro da gaveta da minha cômoda? Dias atrás li em um blog que o vinho tinha aromas de açougue. Se era de um açougue lá do meu bairro, tava estragado.

    ResponderExcluir
  11. Hahahahah... e agora, além de tudo temos divulgado por uma chata chamada JU GONÇALVES umas palestras ``da hora``... replico:

    CONAVINHO

    7 de julho de 2014 por Ju Gonçalves (Vou de Vinho)


    PARA POST CONAVINHO

    O Conavinho é um congresso virtual e gratuito criado para os apreciadores de vinhos. A iniciativa da realização deste evento é do Marcelo Vargas, idealizador do site Sobre Vinho.

    Os palestrantes do congresso são também apreciadores de vinhos, especialistas, sommeliers, enólogos, jornalistas, blogueiros e vários outros entusiastas que têm o vinho como grande paixão.



    Para participação não é necessário ser especialista no assunto, basta apenas gostar de vinhos e ter o interesse em saber mais. Os temas que serão desenvolvidos estarão ao alcance de todos.

    As palestras já estão agendadas, com dias e horários e os temas estão logo abaixo. Para se inscrever, entre no site CONAVINHO , escolha a sua palestra preferida ou mais de uma, envie o seu email e pronto! A sua reserva está garantida!!!

    Veja aqui!










    MARCOS PINHO
    Designer e especialista em branding. Trabalha em diversos projetos no mundo do vinho
    Palestra: Vinho não é bicho de 7 cabeças

    LUIZA MESSINGER
    Palestra: Enogastronomia e cultura

    MARIA AMELIA DUARTE FLORES
    Palestra: Cem anos do espumante no Brasil

    FABIO PENNA
    Palestra: Harmonização sensorial – Como o ambiente pode te ajudar a beber vinho

    ANDRÉ PERES JR.
    Palestra: O envelhecimento dos vinhos em garrafa

    JUNIOR MAROSO
    Palestra: Dicas simples e práticas para harmonizar melhor seu vinho

    PAULA GUERRA SCHENATO
    Os vinhos dos Campos de Cima da Serra

    EVELYN FLIGERI
    Palestra: O segredo é harmonizar

    IGOR BERON (Califórnia/EUA)
    Palestra: Revolução da tampa de rosca: do vinho simples ao Grand Cru

    JANE PRADO
    Palestra: Vinho… para quem gosta, fingir que entende

    ANDREIA MILAN & JÚLIO CÉSAR KUNZ
    Palestra: Pelos olhos do cliente: o valor da experiência

    JESSICA MARINZECK
    Palestra: Os segredos das taças

    PETER WOLFFENBÜTTEL
    Palestra: E o vinho brasileiro, como anda?

    ETIENE CARVALHO
    Palestra: Vinho em restaurante: dicas para escolher, degustar e harmonizar

    RENÉ ORMAZABAL MOURA
    Palestra: Curiosidades e dinamismos do mundo vinho, que encantam quem já está

    RENATO BRASIL
    Palestra: A evolução do seu gosto pelo vinho

    EDUARDO SIMÕES
    Palestra: Vinho sem frescura

    VINÍCIUS SANTIAGO
    Palestra: Drinks especiais com vinhos e espumantes

    MARCELO VARGAS
    Palestra: 10 informações incríveis para te ajudar no mundo dos vinhos

    DIDÚ RUSSO (entrevista para Jessica Marinzeck)
    Entrevista: Dicas de um crítico de vinhos

    MAURÍCIO ROLOFF
    Palestra: Vinho e música – Uma harmonia perfeita

    IRINEU GUARNIER FILHO
    Palestra: As indicações geográficas dos vinhos brasileiros

    Até o próximo post

    Ju Gonçalves

    Quanta bobagem saira da maioria é que já garante boas risadas, inclusive dos blogueiros em questão que adoram se autonomear...
    Parabens a Ju `chata` Gonçalves, sempre pronta ( a disseminar a ``cultura`` )

    ResponderExcluir
  12. É um congresso patrocinado pelo laboratório NYCOMED fabricante do DRAMIN

    ResponderExcluir
  13. Ixe...
    falando aos otários abobrinhas que apelidam de palestras…Fudeô o país de `veis`...
    E pesticidas para isso? entre vaidosas do vinho e escrotos, acho difícil...

    Juarez.

    ResponderExcluir