Facebook


Pesquisar no blog

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

GAVI MINAIA -BERGAGLIO


 


“O GAVI DI GAVI LA SCOLCA” me causou uma grande decepção e esta decepção “contaminou”, injustamente, meu conceito sobre os vinhos “Gavi”.

Por longos anos , como disse , evitei sistematicamente a denominação, até porque muitos produtores, embalados pelo sucesso da La Scolca, a imitaram no exagero dos preços.

Um dos mais competentes sommeliers que conheço é Enrico Boitano proprietário do ótimo “Piccolo Ristorante” de Chiavari.

Boitano conhece vinhos como poucos e possui rara facilidade para descobrir bons produtores.

“Vamos até Gavi? Almoçamos por lá e depois visitamos Nicola Bergaglio e compramos algumas garrafas de seus vinhos”.
 

A cidade de Gavi não é definitivamente uma de minhas metas inesquecíveis

Sem graça, sem charme, cinzenta e triste.

 Se não fosse pelo vinho e o estupendo castelo que, ameaçador lá do alto de uma colina, domina a aldeia, Gavi não mereceria nenhuma visita.

Boitano, fã incondicional dos vinhos de Bergaglio (não confundir com o sobrenome do Papa), me convenceu e acabei concordando em acompanhá-lo na viagem.

Foi uma das mais gratas surpresas e o passeio mudou totalmente minha opinião sobre o “GAVI”.

Nicola Bergaglio alta, magro, rosto marcado pelo sol das vinhas, mãos calejadas e fortes, tímido e quase taciturno, nos recebeu em sua vinícola, pequena, mas bem equipada e sem muita delonga foi abrindo garrafas e mais garrafas.

“Quando deixei de vender grande parte de minhas uvas para a “La Scolca” e resolvi vinificar todos os meus cachos fui sempre melhorando”

Levei um susto perguntei: “Quer dizer, então, que “La Scolca” comprava uvas de terceiros?”.

“Comprava e continua comprando”, respondeu Bergaglio.

A “La Scolca”, em seu site, declara:” A qualidade tem um preço, e é um preço que se deve pagar: Para obter grandes vinhos os vinhedos devem produzir pouco, os sumos vitais de cada pé devem se concentrar em poucos cachos, se desejamos que eles tenham realmente qualidade superior”.

“La Scolca” fala em cuidadosa seleção, poucos cachos, qualidade superior e compra uva de terceiros?

A “La Scolca” usa esta cantilena apenas para justificar os elevadíssimos preços de seus vinhos.

Já vi este filme antes e... não gostei.

O grande vinho de Nicola Bergaglio é o “MINAIA”.

Ao provar a primeira garrafa de “MINAIA” 2009 todo meu preconceito e todas minhas restrições ao “GAVI”, desapareceram: Que vinho! Que belo vinho!

O “MINAIA” 2009, com sua bela cor dourada (nada daquele “amarelo-quase-branco-água” presente na maioria dos Gavi de 5ª categoria), já deixava claro que sua qualidade continuaria evoluído por muitos e muitos anos.

No nariz notas de camomila, mel, muita mineralidade.

Na boca grande estrutura, elegância e um final interminável onde, insistentemente, a amêndoa predominava.

Se o “MINAIA” 2009 já havia pulverizado o “GAVI DI GAVI LA SCOLCA” imagine, então, o que aconteceu quando Bergaglio abriu uma garrafa de 1997.

Um vinho Cortese, piemontês, com 16 anos e que custa... (depois eu digo), me tirou o fôlego .

Opulento, aroma de flores e notas balsâmicas. Na boca surpreendentemente jovem, fresco, invejável estrutura, um final longo e persistente.

Grande vinho que pulverizou o famoso e caríssimo primo da etiqueta preta.

Quando pensei que o Minaia de Nicola Bergaglio me havia dado todas as informações possíveis, sobre a potencialidade do Cortese de Gavi, semana passada, Enrico a Boitano, mais uma vez, bagunçou meu coreto.

Entrei no “Piccolo Ristorante” e a garçonete foi logo falando: “Enrico foi comprar cigarros, mas já, já estará de volta”.

Noite de clima agradável.

Sentei na varanda e perguntei se haveria alguma garrafa de vinho branco já aberta.

Sem demora a moça me serviu uma taça e foi dizendo: “Abrimos ontem. Experimente e veja se ainda é bebível”.

Sem muitas esperanças e quase automaticamente levei a taça ao nariz.

Fiquei petrificado.

“Deixe-me ver a garrafa, por favor”

A moça atendeu o meu pedido e me apresentou um Gavi “Fornaci di Tassarolo” 1995 da vinícola Michele Chiarlo.

Comentários sobre o “FORNACI DI TASSAROLO 1995” na próxima matéria.

Bacco

2 comentários:

  1. Olá Bacco

    Parece-me que nesse caso sua opinião coincidiu com a do Gambero Rosso que na edição 2014 atribui Tre Bicchieri ao Gavi del comune di Gavi Minaia 2011 Bergaglio Nicola.
    Abraços

    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. A propósito, excelente artigo.
    Eduardo

    ResponderExcluir